United Airlines aumenta participação no capital da Azul Linhas Aéreas

Azul e United acordoParticipação da United Airlines no capital da Azul chega a 8%

A Azul Linhas Aéreas informou hoje (27) que a United Airlines aumentou sua fatia no capital da empresa. A expansão se deu após a companhia aérea americana fechar a compra de ações preferenciais que pertenciam a chinesa Hainan Airlines. Com o negócio, fechado em US$ 138,3 milhões, a United Airlines passa de 3,7% para 8% de participação na Azul. A informação é da agência de notícias Reuters.

A Hainan Airlines pagou US$ 450 milhões por uma participação de 23,7% na Azul em 2016. Em 24 de abril, ela detinha 22,4% das ações preferenciais da companhia aérea brasileira, ou uma participação econômica de 21,6%, segundo o site da empresa criada por David Neeleman. Com o acordo, essa fatia recua para 17,28%.

“Esse investimento reforça nossa estratégia, nosso plano de negócios, nossas oportunidades de crescimento e nossos 11 mil tripulantes, que cuidam de nossos clientes todos os dias”, disse o presidente da Azul, John Rodgerson, em comunicado divulgado à imprensa.

No início de março, o presidente do conselho de administração da Azul, David Neeleman, afirmou que, após a aprovação pelo Senado do acordo de céus abertos entre Brasil e EUA, o próximo passo da empresa seria se reunir com parceiros e conversar sobre uma joint venture.

Azul e United: parceria

Atualmente, Azul e United conectam passageiros entre Brasil e Estados Unidos por meio dos aeroportos de Guarulhos, em São Paulo, e Fort Lauderdale e Orlando, na Flórida.

Em comunicado, o vice-presidente financeiro da United, Andrew Levy, afirmou que desde o investimento inicial na Azul, em 2015, “o número de clientes conectando com as duas empresas nunca esteve tão alto, beneficiando significativamente quem viaja entre os EUA e o Brasil”.

“A forte rede da Azul no país, além de seu modelo de negócios exclusivo e o excepcional atendimento, nos dão muitas oportunidades na América do Sul nos próximos anos”, finaliza Levy.

Veja as notícias completas da Reuters aqui (português) e aqui (inglês).

(*) Crédito da foto: Divulgação/Azul Linhas Aéreas

Comentários