Veja detalhes do 14º Panorama da Hotelaria Brasileira

O melhor momento econômico do país, associado ao leve aumento da oferta, deve impulsionar em até 30% o lucro dos hotéis brasileiros em 2020. É o que estima a 14ª edição do Panorama da Hotelaria Brasileira, divulgado hoje (4) pelo FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil) e HotelInvest. O estudo mapeou ainda 169 unidades em desenvolvimento no mercado até 2024, somando R$ 6,6 bilhões em investimentos.

Para chegar às estimativas, o relatório levantou dados das 35 principais redes do país, com uma amostra de 25.768 UHs (unidades habitacionais). Como já sinalizado em documento anterior, a HotelInvest projeta crescimento de receita em todos os mercados analisados. Referência em 2019, São Paulo deve ser uma das praças este ano, assim como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Vitória. Todos, segundo o estudo, devem registrar expansão acima de 10%.

“Apesar do aumento percentual expressivo, a base ainda é modesta, com diárias até 48% abaixo do pico histórico em valores reais”, destaca Orlando de Souza, presidente executivo do FOHB. “É importante que as tarifas continuem crescendo para recompor o potencial de resultado e de reinvestimento do setor”, completa, indicando o caminho para retomada definitiva da hotelaria nacional.

Panorama da Hotelaria Brasileira

Algumas praças, contudo, terão um pouco mais de dificuldade para acelerar o desenvolvimento. Segundo o relatório, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Fortaleza e Recife devem apresentar crescimento moderado de receita, de 5% a 10%. FOHB e HotelInvest destacam, contudo, que essas cidades já registram recuperação de ocupação, o abre caminho para o processo de aumento de tarifa.

“O momento atual do mercado hoteleiro no Brasil é positivo. Há três anos a ocupação cresce e, desde o ano passado, as tarifas ganharam fôlego em diversas praças do país. Enxergamos um potencial de incremento de lucro de até 30% em hotéis bem posicionados”, reitera Pedro Cypriano, sócio-diretor da HotelInvest e coordenador da pesquisa. “As perspectivas das grandes redes que atuam no Brasil quanto aos orçamentos para 2020 também são mais otimistas em comparação com o ano passado. Acreditamos em um aumento de 2,5% em ocupação e de aproximadamente 3% em diária média, além da inflação”, acrescente Souza.

Panorama da Hotelaria Brasileira

Panorama da Hotelaria Brasileira: pipeline

O estudo mapeou 169 hotéis no pipeline até 2024. Ao todo, os projetos envolvem 54 marcas e 24.914 UHs, totalizando R$ 6,6 bilhões em investimentos. Em termos geográficos, as novas unidades no Sudeste e Sul (75%), bem como em cidades do interior com até 300 mil habitantes (45%). Já entre as categorias, boa parte dos empreendimentos em desenvolvimento são dos segmentos econômico e supereconômico (66%).

Em comparação com a última edição do Panorama, publicada em setembro de 2019, 39 novos contratos foram assinados. “É um sinal de que os investidores já estão mais confiantes com o potencial de crescimento do setor hoteleiro e também da economia brasileira”, avalia Cristiano Vasques, sócio-diretor da HotelInvest. E para os novos contratos, 54% ainda serão estruturados como condo-hotel.

Quanto a produtos com uma proposta de valor lifestyle, somente 11% dos novos hotéis terão esse direcionamento. A essência dos projetos em estruturação é de empreendimentos de hotelaria mais tradicional. “Já há espaço no Brasil para propostas mais ousadas e modernas, e não apenas no segmento de luxo. Produtos com design e funcionais devem ganhar força no país nos próximos anos”, ressalta Diogo Canteras, sócio-fundador da HotelInvest.

O panorama completo pode ser acessado através do link.

Panorama da Hotelaria Brasileira

(*) Crédito da foto: Phlife/Unsplash

(**) Crédito dos infográficos: Divulgação/FOHB e HotelInvest

 

Comentários