WTM-LA: AccorHotels projeta crescimento em resultados financeiros para este ano

Projeção de crescimento da AccorHotelsExecutivo prevê crescimento no país em número de hotéis

Região com a segunda melhor performance mundial em aberturas ao longo de 2017, a América do Sul é motivo de otimismo para a AccorHotels. A empresa francesa espera, pelo menos, 10% de crescimento em resultados financeiros sobre 2017. Maior país do continente, o Brasil puxa a fila em aberturas e rentabilidade.

De acordo com Philippe Seguin, vice-presidente sênior de Vendas e Distribuição para a América do Sul, o Brasil segue sendo um bom local para apostar as fichas. O executivo ressalta, no entanto, a diferença entre os destinos dentro do próprio país. 

"São Paulo, por exemplo, segue sendo uma praça muito importante, principalmente para o segmento corporativo, ao longo de todo o ano", comenta o profissional. "O Rio de Janeiro, contudo, teve retração na procura com os últimos incidentes relacionados à segurança, mas tem atratividade muito grande no mercado de lazer", completa. 

Segundo o dirigente, de maneira geral, os números devem continuar crescendo, inclusive no tocante às unidades abertas. 

Maior portfóio ajuda no crescimento

O executivo da rede francesa ainda citou a negociação com o BHG para salientar o crescimento da empresa no Brasil. Segundo Seguin, parte dos esforços da empresa em 2018 serão direcionados a projetos de reformas e mudanças nos hotéis integrados ao portfólio depois da negociação com a rede brasileira.

A reforma do Pullman São Conrado é uma demonstração desse movimento. "Temos planos para atualizar todas essa propriedades incorporadas. Vamos trocar algumas bandeiras, melhorar instalações e adequar aso padrões dos produtos que temos", antecipa. 

Os países vizinhos são grandes responsáveis pelo movimento em hotéis brasileiros, conta Seguin. Clientes de Argentina e Chile, por exemplo, são os principais hóspedes internacionais da AccorHotels em solo brasileiro. 

Em fevereiro, a empresa abriu as planilhas e indicativos de 2017. Na ocasião mostrou subida nos lucro globais e decepção com o desempenho sul-americano.

* Crédito da foto: Filip Calixto/Hotelier News

Comentários