WZ Hotel Jardins vê retomada no mercado e celebra resultados no 1º trimestre

WZ Hotel Jardins - Marco QuiorattoQuioratto: foco do hotel em aumentar a rentabilidade vem dando certo

Assim como outros empreendimentos da capital paulista, o WZ Hotel Jardins sente os efeitos positivos da retomada na economia. No primeiro trimestre, a propriedade teve bom desempenho nos principais indicadores da hotelaria. Enquanto a diária média subiu próximo de 10% (para R$ 290) frente a igual período de 2017, o RevPar fechou em R$ 198,60, alta de 14% na mesma base de comparação.

“A ocupação se manteve estável em 62%, o que demonstra que nosso foco em maximizar as receitas vem funcionando”, ressalta o Marco Quioratto, gerente Comercial do WZ Hotel Jardins. “Com isso, o faturamento no primeiro trimestre subiu 20% em relação a 2016”, comemora o executivo.

De acordo com Quioratto, a meta do hotel é encerrar 2018 com patamar de crescimento no faturamento similar ao atingido nos primeiros três meses do ano. “Desde o final de 2017 a melhora na economia vem se refletindo em nossos resultados. Se atingido, o crescimento estimado para este ano representaria incremento de R$ 3 milhões em nossa receita anual”, revela.

Com 60% do público oriundo do lazer, Quioratto destaca a localização do empreendimento. “Estamos ao lado da Oscar Freire, região bastante procurada pelos restaurantes e para compras”, diz o executivo, ressaltando que o desafio é aumentar a presença do segmento corporativo. “Estamos numa espécie de ilha, entre as duas principais regiões empresariais da cidade: Paulista e Faria Lima. Com a inauguração da estação Oscar Freire do metrô, teremos fácil ligação com esses locais. Projetamos aumento da fatia do corporativo na ocupação”, acrescenta.

WZ Hotel Jardins - Fachada Hotel tem 60% do público oriundo do lazer, com muitas famílias

WZ Hotel Jardins: nova categoria

Quioratto revela também que o empreendimento criará uma nova categoria de quartos. “Hoje, temos duas: executiva e luxo. A primeira tem quartos de 18 metros quadrados (m²) e se assemelha bastante a um hotel econômico. A segunda tem 36 m² e pode facilmente receber uma família sem necessidade de colocar uma cama extra”, explica. 

“A ideia da nova categoria é rentabilizar melhor nossa operação. Com a categoria luxo master, miramos o público corporativo, em especial altos executivos”, afirma Quioratto, destacando que não serão necessárias obras de adaptação. “A ideia é usar os apartamentos luxo e acrescentar uma série de serviços extras, como roupão, chinelos, máquinas de café expresso como cortesia e amenities diferenciados. Em um mês já estaremos vendendo esses quartos.”

Quioratto também destaca o recente crescimento da receita oriunda de eventos. “Em três anos, o desempenho da área aumentou 350%. No último trimestre, verificamos alta de 30% em relação a igual período do ano passado”, conta. “O segmento ainda representa apenas 10% do faturamento, o que é natural para um hotel de 320 quartos. Ainda assim, ajuda bastante a movimentar o hotel, especialmente a área de A&B (Alimentos & Bebidas)”, conclui. 

(*) Crédito da foto: Vinicius Medeiros/Hotelier News

(**) Crédito da foto do hotel: divulgação

Comentários