';

"Novas fases, muitas mudanças e novidades para vocês!"

Vinicius Medeiros
Editor-Chefe
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Pesquisa revela que 44% dos brasileiros se sentem mais seguros em hotéis de rede

Por Redação 11 de agosto de 2020

hoteis de rede - pesquisa37,8% dos brasileiros pretendem viajar nos próximos 12 meses

Recentemente, um levantamento revelou quais serão as principais escolhas dos brasileiros para a retomada do turismo. Embarcando no tema, a Hibou, empresa de pesquisa e monitoramento de mercado, em parceria com a VPNY (Vou para New York) observou que 44% dos brasileiros se sentem mais seguros se hospedando em hotéis de rede, enquanto 12% opta por hotéis independentes, 13% casa de parentes, 18% casa ou quarto de temporada, 9% aluguel de imóvel via app e apenas 3% hostel.

Realizado em formato digital, o estudo abrangeu mais de 1.300 brasileiros, sendo 61% mulheres e 39% homens, entre os dias 21 e 25 de julho. Dentre os resultados, constatou que 37,8% disseram que pretendem viajar até agosto de 2021. Já para 29,5%, a vontade existe, porém não vão viajar. Para 20,7% viagens ainda não estão decididas, e apenas 12% não querem, e nem pretendem tão cedo.

Quanto à rota das viagens, os destinos nacionais aparecem como favoritos para pós-pandemia. 55,4% desejam viajar pelo país, sendo que 26,8% pretende viajar ainda dentro de seus próprios estados de residência. Quanto aos destinos fora do país, 16,9% desejam ir à Europa, 8,9% América do Norte, 5,5% América Latina, 2,6% Oceania, 2% África e 1,7% Ásia. Outros 8,8% não sabem ainda e 2,6% escolheram outros locais.

"A viagem nacional volta ao cenário com força, pois muitos trajetos serão realizados de carro o que dá ao viajante a responsabilidade dos cuidados de higiene até chegar ao destino desejado", diz Ligia Mello, sócia da Hibou.

Outro fator que influencia a escolha, é o clima local. Mais de 54% dos brasileiros consideram a estação do ano para decidir o momento de viajar. Para quase metade, 43,6%, o orçamento é relevante. Já a forma de pagamento impacta para 39,6%, 35,9% prefere que no roteiro caiba tudo que deseja conhecer naquele local e apenas 33,2% levam em conta pacotes promocionais.

Sobre a companhia para viagens, 70% dos entrevistados gostaria de viajar com suas famílias e parceiros. Apenas 10,27% com amigos, 8,91% sozinho, 7,78% sozinho (a) com os filhos. E quanto ao período de planejamento, 37,9% se programam entre 3 e 6 meses. 23,8% um ano antes. 19,3% entre 1 e 3 meses, 12.2% um mês antes, 4,2% mais de um ano antes, e 2,6% não gostam de viajar. O tempo de viagem ideal médio segundo apontado pelo estudo é de 11 dias, com máximo de 90 dias e mínimo de quatro dias.

Hotéis de rede: anseios do consumidor

Em relação aos anseios do consumidor, o que mais preocupa os brasileiros é o risco de contaminação (50%). Seguido de problemas econômicos pessoais (33,5%), possibilidade de uma segunda onda do Covid-19 (32,3%) e a não garantia da higiene dos transportes, manuseio das malas, aeroportos (21,2%), ou ainda, por conta da pandemia, encontrar pontos turísticos fechados (14%).

Entre os protocolos de biossegurança, 79,5% apontou o uso de máscaras por toda a equipe de atendimento dos locais e serviços como primordial. Já 69,4% ainda defende a obrigatoriedade do kit de higiene com álcool em gel. 58% desejam restaurantes sem aglomeração. 55.9% disseram carros higienizados a cada viagem para transfer ou deslocamentos. E 54,3% querem bagagens higienizadas pelas companhias na chegada ao destino do passageiro.

Sobre o novo normal, 27% acredita que as viagens nacionais só devem se normalizar após julho de 2021. E este número sobe para 39% falando das viagens internacionais. Já sete em cada 10 brasileiros não tinham viagens a desmarcar. E apenas 1,5% dos entrevistados viajou conforme havia planejado durante a pandemia. Os demais se optam por adiar (10,3%) ou desmarcar por completo (15,9%) seus planos no período.

(*) Crédito da foto: johnnnyhammer/Unsplash