';

"Novas fases, muitas mudanças e novidades para vocês!"

Vinicius Medeiros
Editor-Chefe
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Rappi mira mercado de viagens e lança sua própria OTA

Por Nayara Matteis 6 de agosto de 2020

rappi - rappi travel - interna

Gigante do setor de tecnologia, o Rappi faz parte do triângulo de aplicativos que monopoliza o mercado de entregas formado ao lado do iFood e Uber Eats. Expandindo seu portfólio, a empresa marca sua entrada no segmento de viagens com um novo produto: o Rappi Travel. Sem alarde, a ferramenta ainda pouco conhecida já conta com grandes redes e companhias aéreas em seu portfólio e promete competir com plataformas consolidadas como Booking.com e Expedia.

A interface funciona como qualquer outra OTA: o usuário escolhe entre voos ou hotéis, digita o destino escolhido, data de check-in e check-out, número de hóspedes e parte para a busca. Nas Américas, o Rappi Travel oferece hospedagens para destinos como Miami, Bogotá, Cancún e Buenos Aires. No Brasil, capitais como Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Fortaleza e Florianópolis possuem empreendimentos cadastrados.

A ferramenta fica hospedada dentro do próprio app do Rappi, que além do segmento de viagens também anunciou outros três produtos voltados ao mercado de entretenimento: Rappi Games, Rappi Live Events e Rappi Music. Além dos novos recursos, a empresa ainda oferece serviços de entrega de supermercados, farmácias e distribuidoras de bebidas.

Rappi: hotelaria

O mercado hoteleiro ganha ao mesmo tempo mais um parceiro e concorrente de vendas diretas. Em nossa busca, nos deparamos tanto com empreendimentos de grandes redes quanto hotéis independentes e pousadas.Entre as empresas cadastradas estão: Accor, Atlantica Hotels, Wyndham Hotels & Resorts, Blue Tree Hotels, Mabu, Nacional Inn entre outras.

“Ainda não conheço muitos detalhes sobre a atuação da plataforma, mas todos os players que chegam ao mercado precisam ser analisados com critério, ver até que ponto ele vai ter força, pois já existem OTAs muito consolidadas que realizam altos investimentos. Sem dúvidas, é um player que merece atenção da hotelaria, mas é cedo para dizer se o setor deve ou não dar condições a ele”, analisa o consultor Daniel Guijarro.

A resportagem do Hotelier News tentou entrar em contato com a empresa para saber mais detalhes sobre a ferramenta, mas não obtivemos resposta. Todas as informações foram retiradas da experiência de usuário.

(*) Crédito da capa: Schutterstock

(**) Crédito da foto: reprodução da internet