';

"Novas fases, muitas mudanças e novidades para vocês!"

Vinicius Medeiros
Editor-Chefe
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

STR divulga resultados de novembro na hotelaria das regiões da América Central e do Sul

Por Redação 22 de dezembro de 2016


Imagem ilustrativa: Pixabay/geralt

Em comparação com o mês de novembro de 2015, hotéis das regiões da América Central e América do Sul tiveram uma redução de 3,8% na taxa de ocupação de 60,3%. No entanto, a diária média subiu 6% para US$ 94,15, enquanto o RevPar (receita por quarto disponível) aumentou 1,9% para US$ 56,76.

O Brasil continuou lidando com uma queda de 7,8% de ocupação, encerrando o mês com 55,5%. A diária média teve queda de 8,9% para $275,11. Como resultado, o RevPar caiu 16,0% para $152,82. Especialistas da STR acreditam que a baixa performance deve continuar, visto que atualmente existem 94 hotéis em construção e outros 131 em fase de planejamento, sendo necessário o crescimento na demanda para compensar a oferta significativa.

A Costa Rica reportou um crescimento nos três indicadores: a taxa de ocupação teve aumento de 2,0% para 69,5%; a diária média teve crescimento de 2,4% para $65,673.61 e o RevPar assistiu aumento de 4,5% para $45,657.63. Para os analistas da STR, o desempenho do país em novembro foi impulsionado pelos grupos de negócios, que costumam reservar dez ou mais quartos a cada estadia, sobretudo em San Jose.

O Panamá teve crescimento de 3,8% em ocupação, registrada em 52,6%, enquanto a diária média teve queda de 4,4% para $93,35. O RevPar também caiu 0,8% para $49,13. Foi a maior queda registrada em diária média desde agosto de 2006. Para os analistas da STR, isso se deve ao aumento da oferta nos últimos anos.

Em Bogotá, na ColômbIa, a taxa de ocupação obteve aumento de 16,1%, encerrando o mês em 69,9%. A diária média também cresceu 2,0%, ficando em $289,328.18, resultando em um aumento de 18,5% do RevPar, para $201,410.83. Novembro foi um mês histórico para o país com a assinatura de um acordo de paz com as Farc – Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

Lima, no Peru, registrou uma sensível queda de 0,5% na ocupação, fechando em 75,1%. A diária média teve um aumento de 40,7%, encerrando o mês em $702,57 e impulsionando o crescimento do RevPar em 40,0%, fechando em $527,29.

Quito, no Equador, relatou quase 13,7% de declínio na taxa de ocupação para 62,6% e uma queda moderada de 0,4% na diária média, fechando em $105,26. Como resultado, o RevPar caiu 41,0% para $65,86. Analistas da STR apontam o crescimento da oferta (+7,5%) como uma das razões por trás da performance.

Serviço
str.com