';
Três perguntas para - Gustavo Xavier

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Três perguntas para: Gustavo Xavier

Por Vinicius Medeiros 23 de outubro de 2020

Empreender esteve sempre lá no íntimo. Demorou uma década, mas Gustavo Xavier colocou seu objetivo de pé. Após trabalhar no mercado financeiro, o empreendedor fundou há um ano a VOA Hotéis. “O Conceito VOA é simples: fazer os nossos hoteleiros ganharem mais dinheiro. Nós só seremos bem-sucedidos se cumprirmos essa tarefa”, explica Xavier, convidado do Hotelier News na sessão de hoje (23).

Xavier construiu uma carreira sólida no mercado financeiro, atuando por Itaú BBA, SPX Capital e Lazard. Foi, inclusive, o olhar adquirido na área que o fez reparar a disparidade de facilidade de acesso a capital entre redes e hotéis independentes. Nasceu ali o Conceito VOA citado acima, só que tendo a tecnologia como indutor de tudo. “Foi assim que surgiu a ideia da VOA: uma empresa que fornece aos pequenos hoteleiros toda a estrutura que hoje só as grandes redes possuem.”

Aos 30 anos, o carioca formado pela Engenharia Mecatrônica acorda todo dia às 5h30. É tempo apenas do café da manhã e correr para a praia fazer seu hobbie favorito: jogar futevôlei. “O esporte é fundamental para manter o corpo e a mente sãos”, acredita Xavier. A parte boa disso tudo é que, pela foto que ilustra a reportagem, o escritório não é longe do mar!

Hotelier News: Sua formação acadêmica e profissional é bem distinta do “hoteleiro padrão”. Por que empreender no setor?

Gustavo Xavier: Minha decisão de empreender veio de uma vontade de longa data de ter um impacto maior na vida das pessoas. A carreira no mercado financeiro é confortável, mas não propicia esse tipo de satisfação pessoal. A decisão de investir especificamente em hotelaria veio da percepção de que a competição entre os grandes e pequenos players era completamente injusta. Durante a minha passagem pelo mercado financeiro, reparava que as grandes redes, por terem muito dinheiro e acesso ao mercado de capitais, conseguiam investir muito na infraestrutura de seus hotéis. Contratavam também os melhores e mais caros softwares do mercado, associados aos melhores profissionais para fazer a distribuição e gestão operacional de seus hotéis. Além disso, contratavam boas consultorias para arredondar suas operações e dar treinamento de ponta para os funcionários. Enquanto isso, os pequenos hoteleiros não tinham escala ou capital para ter o mesmo acesso e oportunidades. Isso os colocava em grande desvantagem em relação às grandes redes.

A situação dos hoteleiros independentes ainda piorou com a euforia pré-Copa do Mundo e Olimpíada. No período, as grandes redes aumentaram drasticamente a oferta de quartos nas capitais do país. Via torre atrás de torre subindo e sempre achava que isso não seria sustentável. Quando veio a crise pós-Olímpiada, esses novos hotéis reduziram muito seus preços, apertando ainda mais a competição. E, para piorar, as acomodações informais cresceram exponencialmente, deteriorando ainda mais o cenário para os hoteleiros independentes. Foi assim que surgiu a ideia da VOA: uma empresa que fornece aos pequenos hoteleiros toda a estrutura que hoje só as grandes redes possuem. Seja ela em tecnologia, distribuição profissional, equipe de operações e RM (Revenue Management), treinamento dos funcionários, marketing, suporte ao hóspede, capital e infraestrutura. Fornecer a esses pequenos hoteleiros as armas para lutar contra as grandes redes.

HN: Pouco mais de um ano de VOA Hotéis no mercado. O que deu certo no modelo de negócios? O que precisou ser ajustado? Qual avaliação até aqui?

GX: O que mais deu certo é que reparamos que não só o produto foi muito bem aceito, mas que ele de fato funciona, chegando a triplicar a receita de alguns parceiros. Foi uma imensa satisfação ver que estamos conseguindo agregar bastante valor para os nossos clientes. Um ajuste importante que tivemos que fazer foi saber dosar a velocidade do nosso crescimento. Durante a pandemia, percebemos que nosso produto se tornou ainda mais relevante, o que resultou em aumento grande da demanda. Entretanto, estamos preferindo crescer com calma, porém garantido que somos capazes de entregar toda a nossa proposta de valor para os parceiros. Atualmente, estamos investindo muito no nosso time de Operações e Tecnologia justamente para conseguir atender ao mercado da melhor forma possível.

Em relação a minha avaliação do negócio, sinceramente penso que hoje sou o maior crítico da VOA. Temos muito a melhorar para conseguir gerar o máximo possível de valor para nossos hoteleiros. No entanto, sinto muito orgulho do caminho que trilhamos até agora, da equipe e cultura que estamos formando. Além disso, estamos muito animados com o que ainda há por vir. Hoje, estamos em constante negociação com diversos parceiros, de dentro e fora do país, para prover aos nossos hoteleiros e hóspedes a melhor experiência possível.

HN: Plataforma de distribuição ou Comercial aos hoteleiros independentes. Como explicar o conceito da VOA?

GX: Nem um, nem outro. O Conceito VOA é simples: fazer os nossos hoteleiros ganharem mais dinheiro. Nós só seremos bem-sucedidos se cumprirmos essa tarefa. Hoje, vemos que os meios de se fazer isso são investir em tecnologia de distribuição, precificação e experiência; infraestrutura, treinamento, equipe de suporte, operações e marketing, entre outras. No entanto, esses são apenas meios para um fim. Se mais para frente descobrirmos outras formas de gerar valor para os nossos hoteleiros, sem dúvida iremos fazer os investimentos necessários.

(*) Crédito da foto: Divulgação/VOA Hotéis