Abear: demanda por voos domésticos cai e tem pior resultado desde 2009

AbearDemanda caiu 32,84% em março na comparação anual

Dentre os pilares que compõem o setor do turismo, as empresas aéreas encontram-se cada vez mais com dificuldades em decorrência da crise do coronavírus. São milhares de empregos em risco, a medida que as demandas diminuem. E os números continuam a cair: segundo dados divulgados pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e compilados pela Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), a demanda por voos domésticos caiu em 32,84% quando comparada ao mesmo período do ano passado, registrando o pior resultado desde 2009.

Com a queda pela procura, a oferta também sofreu redução, registrando um número 24,58% menor do que em relação ao ano passado. E o volume de passageiros transportados em voos domésticos sofreu um recuo de 35,46% em março, também em comparação ao mesmo período do ano passado. No mês passado, a Abear divulgou outro estudo que apontava declínio de 50% na demanda doméstica.

Números mais baixos ainda foram registrados no total de decolagens, que sofreu uma retração de 28,35%, o pior resultado desde março de 2005. Já o aproveitamento das aeronaves também registrou números negativos, baixando 8,86 pontos percentuais a 72,07% de ocupação, resultado mais fraco desde março de 2013. 

Abear: mercado internacional

Já no cenário internacional, a demanda por viagens aéreas internacionais entre as companhias aéreas nacionais recuou 45,38%, quando comparada ao mesmo período no ano passado. O último registro de números tão baixos havia sido em 2010.

Também sofreram queda a oferta de assentos (34,42%), número de passageiros transportados (45,22%) e o aproveitamento dos aviões teve redução de 13,59 pontos percentuais, levando a ocupação dos voos a 67,79%, pior desempenho desde março de 2009.

Outro setor que também sofreu os efeitos da pandemia foi o transporte aéreo de cargas e correio.  No segmento doméstico, a redução foi de 17,52%, quando comparado a março de 2019. E no setor internacional, a queda foi ainda mais brusca, chegando a 21,17%, na mesma comparação.

(*) Crédito da foto: TobiasRehbein/Pixabay

 

Comentários