CBRE Hotels: Reino Unido lidera investimentos hoteleiros na Europa

CBRE Hotels investimentos europaArranha-céus em Londres: mercado local movimentou € 7,7 bilhões

O volume de investimento na hotelaria europeia teve alta em 2018. O total de negócios cresceu 3,4% em relação ao ano interior, atingindo o recorde de € 23 bilhões. O montante ainda representa alta de 73,2% em relação à média dos últimos 10 anos. Os dados integram relatório divulgado pela CBRE Hotels, que dá destaque ao mercado britânico.

Segundo o braço hoteleiro do gigante americano de serviços e investimentos imobiliários, o mercado britânico foi responsável por 33% das transações. No total, a hotelaria local movimentou € 7,7 bilhões no ano passado, alta de 24% em relação a 2017. Segundo a CBRE Hotels, negócios vultosos envolvendo oito hotéis operados pela Hilton marcaram o ano.

Logo em seguida aparece a Espanha, com um volume de negócios de € 4,7 bilhões no ano passado, 34,6% superior a 2017. Apesar da ligeira queda em termos de oferta hoteleira, a Alemanha também teve boa participação, com investimentos na ordem de € 3,9 bilhões.

Numa avaliação em cima do crescimento de 2017 para 2018, chamam atenção os números do mercado irlandês. Em 2018, o total de transações aumentou 390%, somando € 747 milhões. Outros destaques positivos foram Portugal e Itália. Enquanto o primeiro teve volume de negócios 270% mais alto, o segundo teve o sétimo ano seguido de expansão, totalizando € 1,4 bilhões.

CBRE Hotels: rendimento

Em contrapartida aos investimentos, os rendimentos dos hotéis europeus diminuíram em vários mercados-chave. O indicador em praças estratégicas no continente, como Amsterdã, Paris, Milão e Atenas, caiu nas principais estruturas operacionais. Dublin e Helsinque também apresentaram notável redução, principalmente em hotéis com contratos de gestão.

Ainda assim, é possível apontar que o mercado hoteleiro europeu segue crescendo em bases sólidas. Em 2017, segundo estudo European Hotel Transactions, da consultoria HVS, o volume de transações somou € 21,7 bilhões, alta de 22% frente a 2016.

(*) Crédito da foto: jplenio/Pixabay

Comentários