Chez Georges Rio aposta em turismo de experiência

chez georges rio Casa foi construída para aproveitar a vista do Pão de Açúcar

Localizado no bairro artístico de Santa Teresa, na capital carioca, o Chez Georges foi pensado para ser uma obra de arte. Projetado pelo arquiteto Wladimir Alves de Souza, o caráter modernista da villa a coloca como legado urbano arquitetônico do Rio de Janeiro. Detendo íntimos 1 mil metros quadrados de área, o hotel aposta em turismo de experiência. 

À beira de uma reserva florestal e inaugurada há pouco mais de seis meses, o Chez Georges consegue receber até 14 hóspedes em suas 10 suítes. Seu tamanho permite que a atenção para os serviços diferenciais seja lei desde o check-in. “A ideia é que o hóspede veja outra parte do Rio de Janeiro. Aproveite a boemia do bairro Santa Teresa e relaxe com o ambiente da casa”, afirma Letícia Santanna, gerente geral do hotel. 

Assim como o bairro onde está localizado, o casarão também tem uma boa relação com os europeus. A maioria dos hóspedes do Chez Georges é francesa, principalmente pela influência do país na história do Santa Teresa. Ainda assim, é crescente o número de brasileiros que estão descobrindo a propriedade. 

“Já estamos com bastantes reservas de franceses para os meses de inverno, principalmente por ser período de férias da Europa. Estamos notando o aumento de brasileiros também, por enquanto de maioria paulista, mas há tambem cariocas, que buscam um fim de semana diferenciado”, diz Letícia.

Apesar da crise hoteleira carioca, que recentemente fechou o icônico Hotel Novo Mundo, a gerente avalia que o empreendimento tem grande potencial. “Apesar do cenário atual, temos que ver a crise como oportunidade também. Há um mercado de luxo que continua em alta a despeito das dificuldades econômicas. Acredito que o Georges tem lugar na hotelaria carioca e espaço para crescer”, finaliza. 

Chez Georges: experiências

Será difícil para os hóspedes do Chez Georges esquecerem do Pão de Açúcar durante a estadia. A vila foi construída de maneira a encarar o cartão-postal carioca de todos os lados. Por isso, oito dos 10 quartos possuem vista para o famoso monte. O ponto turístico também influencia nas diárias. Uma noite no Chez Georges varia de R$ 890 a R$ 1,2 mil, dependendo da vista e tamanho do quarto.

Outro ponto interessante é que o casarão não tem restaurante. Com o intuito de fazer com que o visitante conheça o bairro, o hotel indica restaurantes e bares locais para almoço e jantar. O café da manhã, contudo, é incluso na diária.

“Se temos um grupo que ocupa ao menos três quartos, também sugerimos uma vivência gastronômica com chefs parceiros. Essa experiência inclui a visita a uma feira próxima com o chef, onde ele ensina como escolher e comprar alimentos e depois os hóspedes ajudam a cozinhar também”, acrescenta Letícia.

(*) Crédito da capa e foto: Divulgação/ Chez Georges

Comentários