Com alta de dois dígitos no Ebitda, Expedia divulga financeiro de 2018

Expedia CEOMark Okerstrom, presidente e CEO do Grupo Expedia

O Grupo Expedia, dono de uma série de marcas dentro da indústria de viagens divulgou hoje (8) seu balanço financeiro de 2018. A empresa fechou o ano com crescimento de dois dígitos em vários indicadores, como lucro líquido, receita e  Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização na sigla em inglês).

De acordo com o balanço o número de reservas brutas em todas as suas marcas aumentou 13% em 2018 frente a 2017. Na mesma base de comparação, a receita anual subiu 12%, totalizando US$ 11,2 bilhões, ficando bem dividido entre os mercado doméstico (Estados Unidos) e internacional. Já o lucro líquido ajustado cresceu 33%, enquanto o  Ebitda avançou 15%.

Segundo o balanço, o aumento das reservas e do faturamento é resultado da expansão das marcas do grupo. Brand Expedia, HomeAway, Hoteis.com e Expedia Partner Solution estão atualmente presentes em 30 a 60 países ao redor do mundo. Do total da receita do grupo, 69% vem do segmento de aluguel por temporada. O HomeAway foi quem mais contribuiu, com crescimento de 29% nas vendas.

Também em 2018, as diferentes marcas do grupo ultrapassaram a marca de 1 milhão de propriedades cadastradas. Cerca de 200 mil foram adicionadas no ano passado, mais do que o dobro do total do ano anterior.

Expedia: Olhar global

Os desafios do grupo, de acordo com o analisado em 2018, é aumentar sua relevância regional em mercados pelo mundo. O Expedia responde por 13% do mercado de viagens dos Estados Unidos e Canadá, sendo líderes segundo levantamento da SiteMinder. No entanto, em regiões como Europa, Oriente Médio e África o grupo controla apenas 3% do mercado. O número diminui para 2% na América Latina e na Ásia-Pacífico.

O grupo está trabalhando agressivamente para mudar esse cenário, segundo Mark Okerstrom, presidente e CEO do Grupo Expedia. Para isso a plataforma pretende entregar melhores produtos e serviços para as regiões de menor alcance.

"Agora temos que garantir que temos um site incrivelmente fácil de navegar e que tenha ótimas fotos e descrições, traduções para o tom de voz local e ofertas promocionais que tratam de coisas relevantes regionalmente. Assim como fazemos nos Estados Unidos”, afirma.

(*) Crédito Foto: USA-Reiseblogger/ Pixabay

(**) Crédito Foto: Divulgação/ Grupo Expedia

Comentários