Conheça o Flyzoo Hotel, projeto futurista do Alibaba

Flyzoo Hotel - quarto britânicoHotel tem design minimalista, à exceção dos quartos temáticos, como o britânico

Imagine chegar a um hotel e não encontrar ninguém na recepção. Concierge para tirar dúvidas? Nem pensar... Em vez de pessoas, robôs fazem praticamente tudo, da entrega do room service ao recolhimento da roupa suja. Já o check-in é feito em quiosques de autoatendimento. Para completar, um sistema de reconhecimento facial substitui as chaves e garante a entrada no quarto. Espantado? Tudo isso você encontra no Flyzoo Hotel, localizado em Hangzhou, na China.

Inaugurado no final do ano passado, o empreendimento é um investimento futurista da gigante do e-commerce Alibaba Group na hotelaria. A unidade, na verdade, é praticamente uma incubadora de projetos de tecnologia voltados para o setor. Lá são aplicadas e testadas uma ampla gama de inovações, a maioria ligada a sistemas de inteligência artificial. Para completar, o Flyzoo Hotel fica a poucos passos da sede da empresa chinesa, servindo como base para funcionários e executivos de clientes e parceiros.

O Flyzoo Hotel tem 290 apartamentos e cobra diárias a partir de 1,390 yuans (R$ 775), caro para os padrões brasileiros. No empreendimento, as inovações não se restringem à tecnologia. A decoração é moderna e minimalista, à exceção dos sete quartos temáticos que homenageiam alguns países. O apartamento britânico, por exemplo, é decorado com as cores da bandeira inglesa e tem fotos do Big Ben e outros pontos turísticos londrinos. Outro destaque é o imenso painel em LED de alta definição localizado no lobby.

Empresas do grupo chinês como Fliggy e Damo Academy ajudaram na concepção, construção, design e (agora) operação do empreendimento. E, como se trata de um dos maiores e-commerces do mundo, a experiência de hospedagem tinha que se falar em “compras”. Por meio do app do Flyzoo Hotel, basta tirar fotos de móveis ou outros itens desejados para adicioná-los de forma rápida ao carrinho de compras online do hóspede. Tudo vem na conta na hora do check-out.

Flyzoo Hotel - quiosques autoatendimentoSem recepcionistas: hóspedes têm que fazer check-in nos quiosques de autoatendimento 

Flyzoo Hotel: inovações

Como citado, o hotel é um laboratório de inovações, muito embora robôs não sejam propriamente uma novidade na hotelaria. Mesmo no Brasil, redes como AccorHotels e Vert Hotéis já fazem uso da tecnologia. Ainda assim, chama atenção o fato de que o Flyzoo Hotel tem pouquíssimos funcionários – mais ligados à limpeza e A&B (Alimentos & Bebidas). Sem revelar o número de colaboradores, o Alibaba Group diz que o hotel foi concebido para reduzir ao máximo o contato humano.

Quartos inteligentes, com sistema de comando de voz para controlar cortinas, temperatura, luz e TV, tampouco são novidades na hotelaria. Redes internacionais como Marriott International e IHG (InterContinental Hotel Group) também têm iniciativas similares.

Por isso, talvez as principais inovações sejam na entrada do quarto (com o já citado sistema de reconhecimento facial) e no check-out. No último caso, por exemplo, basta ao hóspede apertar um botão do app do hotel para trancar a porta após sua saída do quarto. Além disso, por meio do sistema wallet do Alibaba Group, a cobrança é feita automaticamente e debitada no cartão de crédito. Tudo isso sem contato com nenhuma pessoa.

Por fim, para reforçar a segurança, todos os dados gerados na estada (como os pessoais e de pagamento) são salvos na nuvem, em vez de servidores locais. Para conhecer um pouco melhor o Flyzoo Hotel, veja o vídeo abaixo:


(*) Crédito das fotos: Divulgação/Alibaba Group

(**) Crédito do vídeo: canal Wonderlabs Studio

Comentários