Coronavírus impacta tráfego de passageiros global em janeiro, diz Iata

Iata - dados janeiro2020Resultado é apenas a ponta do iceberg; fevereiro os dados devem piorar

A demanda no tráfego aéreo global amentou 2,4% em janeiro, apontam dados da Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo). Apesar da alta, trata-se da mais baixa expansão do indicador para o mês desde 2010, ficando abaixo ainda do incremento do mês anterior (4,6%). Na avaliação da entidade, o baixo crescimento já reflete os primeiros sinais do coronavírus. A base de comparação é anual.

A associação destaca que a oferta cresceu 1,7% frente janeiro de 2019, enquanto a ocupação subiu 0,6 ponto percentual (80,3%). Em relação ao tráfego internacional, todas as regiões apresentaram expansão de demanda, à exceção da América Latina. Globalmente, o indicador avançou 2,5% em relação a janeiro de 2019, abaixo da alta de 3,7% medida em dezembro. África (+5,3%) e Oriente Médio (+5,4%) registraram os melhores desempenhos.

“Janeiro foi apenas a ponta do iceberg em termos de impactos que estamos vendo no tráfego aéreo devido ao surto do coronavírus, considerando que as restrições de viagens para a China começaram somente depois do dia 23 de janeiro”, ressalta Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da Iata. “Mesmo assim, isso foi o suficiente para causar o menor crescimento de tráfego em quase uma década”, completa.

Em 2019, o tráfego de passageiros subiu 4,2% globalmente. Apesar da boa performance, os números são inferiores ao registrado em 2018, quando o fluxo avançou 7,3%.

Iata: cenário doméstico

A procura por viagens internas aumentou 2,3% em janeiro na comparação anual, graças à performance da aviação comercial norte-americana. Isso porque o segundo maior mercado doméstico mundial (China) teve desempenho ruim, já sentindo os efeitos do coronavírus. A oferta de assentos subiu 3%, enquanto a ocupação nos voos caiu 0,5 ponto percentual (78,9%).

Na China, o tráfego doméstico caiu 6,8% em janeiro, já refletindo cancelamentos e restrições de voos relacionadas ao coronavírus. O Ministério dos Transportes da China informou ter medido queda anual de 80% nos volumes no final de janeiro e início de fevereiro. Em paralelo, a oferta cedeu 0,2% e a ocupação recuou 5,4 pontos percentuais, atingindo 76,7%.

No Brasil, segundo dados da Iata, a demanda doméstica cresceu 2,1% frente a janeiro de 2018. Na mesma base de comparação, oferta e ocupação avançaram 0,1% e 1,6%, com o último indicador fechando o mês com 85,7%.

(*) Crédito da foto: Free-Photos/Pixabay

Comentários