De olho na América Latina, Wyndham prepara expansão da La Quinta

Wyndham - expansão La Quinta e HawthornProtótipo de um dos hotéis do projeto dual-brand com a Hawthorn Suites

Finalizada ano passado, a compra da La Quinta pela Wyndham Hotels & Resorts abre boas oportunidades de expansão. A avaliação foi passada para a imprensa semana passada, durante a conferência anual da rede americana, em Las Vegas. Segundo os executivos da empresa, a ideia é buscar crescimento global, com boas possibilidades na América Latina. Outro plano é uma dobradinha explorando projetos dual-brand juntamente com a bandeira de long stay Hawthorn Suites by Wyndham.

Durante o encontro com jornalistas em Las Vegas, Tom Barber, Chief Strategy e Development Officer da Wyndam, disse que a recém-adquirira bandeira terá papel importante na expansão global da rede. "Sei que existem questionamentos em relação a como a empresa está posicionada diante desse novo ciclo econômico, mas sabemos que precisamos desenvolver nossas capacidades independentemente disso. A aquisição da La Quinta tem tudo a ver com isso”, afirmou o executivo, em entrevista ao Hotel News Now.

Barber disse que a La Quinta não foi uma aquisição como outra qualquer. Para ele, a marca agrega uma capacidade significativa de desenvolvimento de novos projetos. “A marca tem uma presença incrível. Prova disso é que 90% do pipeline são novas construções”, observa o executivo. “Pretendemos aproveitar essa vantagem e, quando possível, colocar outras marcas juntas no empreendimento”, acrescenta.

É neste contexto que se insere o projeto La Quinta-Hawthorn Suites. No segundo trimestre, por exemplo, a rede americana assinou sete contratos nos Estados Unidos com as duas marcas. “Acreditamos que a La Quinta se sai muito bem no mercado hoteleiro tradicional, mas existem praças onde há demanda também para long stay. Por isso, decidimos apostar no projeto dual-brand", justifica Krishna Paliwal, presidente da La Quinta. 

Wyndham: expansão

No mercado americano, a Wyndham vê potencial para incrementar o pipeline da marca na Califórnia e no Nordeste do país. Internacionalmente, há boas possibilidades na América Latina e, quem sabe, na China. "Dado o nome da marca, a extensão natural é a América Latina", comenta Barber, que acrescenta.

"A Wyndham tem boa presença na região e vamos continuar expandindo. Anunciamos uma série de propriedades na República Dominicana, que estão avançando muito bem. Depois, a América do Sul é um caminho lógico e natural”, acredita Barber. “Ao mesmo tempo, existem oportunidades em áreas nas quais você não esperaria. A China é uma delas e nossa equipe no país asiático está entusiasmada. Depois, rumamos para toda a Europa”, finaliza.

(*) Crédito da foto: Divulgação/Wyndham Hotels & Resorts

Comentários