Demanda global de passageiros caiu 53% em março, diz Iata

iataDemandas domésticas caíram 47,8% em março

Em fevereiro, a pandemia já dava seus primeiros sinais de impacto no setor aéreo. No período, o tráfego global caiu 14,1% frente ao mesmo mês em 2019. Com a expansão do coronavírus e restrições de viagens, os números recuaram ainda mais em março, segundo dados da Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo). A demanda de passageiros registrou declínio de 53% frente ao ano passado.

Medida pelo número de passageiros por quilômetro (RPKs), a demanda caiu 52,9%, maior queda da história, segundo a associação. Os resultados são consequência das iniciativas adotadas para a retenção de contágio da Covid-19. Em termos dessazonalizados, o volume global de passageiros atingiu os mesmos níveis de 2006.

“Foi um mês desastroso para a aviação. Pior, sabemos que a situação se deteriorou ainda mais em abril, e a recuperação deve ser lenta”, comenta Alexandre Juniac, diretor-geral da Iata. A entidade ainda afirmou que é urgente a necessidade de ajuda dos governos. “As empresas tem caixa o suficiente para garantir dois meses de despesas. E os governos têm demorado a agir”.

De acordo com a associação, as aéreas podem queimar até US$ 61 bilhões de seu estoque financeiro e registrar perda líquida trimestral de US$ 39 bilhões até o dia 30 de junho. A Iata ainda afirma que, para a retomada do setor, é necessário trabalhar a confiança dos turistas.

Iata: mercados 

A demanda internacional foi a maior prejudicada até o momento, com queda de 55,8% em março deste ano na comparação com o mesmo período em 2019. Em fevereiro, o recuo havia sido de 10,3%.

Todas as regiões tiveram perdas de dois dígitos no indicador. Na Ásia-Pacífico, o tráfego de março caiu 65,5%, mais que o dobro da queda de fevereiro - de 30,7%. Na Europa, o declínio foi de 54,3% e, em fevereiro, ainda não havia sido registrada alterações frente ao ano passado.

As demandas domésticas caíram 47,8% em março. “O setor está em queda livre e ainda não chegamos ao fundo do poço”, lamentou Juniac.

(*) Crédito da foto: gunthersimmermacher/Pixabay

 

Comentários