Demanda por voos domésticos tem nova queda em maio, diz Abear

abear- maioDemanda por voos internacionais recuou 96,85% no mês passado

Após recuo de 93,09% em abril, a demanda por voos domésticos registrou nova queda em maio. Segundo dados da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), o mês passado apresentou declínio de 90,97% em comparação ao mesmo período em 2019. Já a oferta de assentos caiu 89,58%, na mesma base de comparação.

Os indicadores representam o pior resultado mensal desde 2000, no início da série histórica na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Os desempenho mais fracos foram registrados em abril, quando o impacto da pandemia atingiu seu auge.

Os dados incluem as operações de companhias associadas, como Gol, Latam, Voepass e Map. Buscando driblar os prejuízos, as empresas estão retomando suas malhas aéreas de forma gradativa, além de apostarem em parcerias de codeshare para conectar rotas domésticas no país.

A taxa de ocupação as aeronaves recuou 10,92 pontos percentuais, para 70,80%. Ao todo, foram transportados 538,9 mil passageiros, retração de 92,44%. De janeiro a maio, o transporte aéreo de passageiros acumula redução de 38,79% diante de igual período de 2019, com diminuição de oferta 37,11% na mesma comparação. O aproveitamento dos aviões ficou em 80,09%, recuo de 2,19 pontos percentuais. No total, as companhias aéreas embarcaram 22,8 milhões de pessoas nos cinco primeiros meses do ano, queda de 40,76%.

Abear: mercado internacional

A demanda por voos internacionais, operados pelas companhias aéreas brasileiras, recuou 96,85% em maio, diante de igual mês do ano passado. A oferta teve queda de 95,68% na comparação anual, com a taxa de ocupação dos aviões de 62,58%, uma redução de 23,37 pontos percentuais. Foram transportados 16,9 mil passageiros, retração de 97,5%.

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, o transporte aéreo de passageiros ao exterior registra queda de 47,97% em relação ao mesmo período de 2019. A oferta acumula diminuição de 45,01% na mesma comparação, com o aproveitamento dos aviões de 78,62%, recuo de 4,48 pontos percentuais. No total, foram transportadas 2,06 milhões de pessoas, retração de 47,90%.

(*) Crédito da foto: Divulgação/Abear

Comentários