Embratur intensifica ações voltadas ao mercado chinês

Embratur - mercado chinêsLudmila (ao centro), com outros membros da comitiva

Para ampliar a presença de turistas chineses no Brasil, a Embratur vem intensificando a presença em eventos no país. Depois de participar, em maio, da CIFTIS (China Beijing International Fair for Trade in Services), uma comitiva do instituto esteve em um evento em Macau. O Fórum para a Cooperação Econômica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa foi realizado mês passado.

Na ocasião, Ludmila Magro representante da Embratur, participou de uma série de atividades, que incluíram palestras temáticas. Nelas, ela apresentou a cooperação na área de turismo, convenções e exposições. Foram realizadas ainda visitas técnicas às entidades de turismo e do governo da região para troca de informações.

“A aproximação com as atividades do fórum abre oportunidade de entrar no mercado chinês, ultrapassando entraves atuais”, destacou a Ludmila, citando alguns deles. “A língua, o entendimento do modo de trabalho ocidental e questões burocráticas”, completa. Além do Brasil, representantes de países de língua portuguesa, como Angola, Cabo Verde e Portugal, entre outros, também marcaram presença.

Embratur: poderio chinês

Hoje, o mercado de viagens chinês injeta US$ 250 bilhões anualmente na economia mundial. Além disso, a China substituirá os Estados Unidos como o maior mercado de aviação do mundo (doméstico e internacional) em meados dos anos 2020. A previsão é da Iata (Associação Internacional de Transportes Aéreos, na sigla em inglês).

Em 2018, a Embratur promoveu em solo chinês ações conjuntas com países sul-americanos para promoção de roteiros integrados. Um exemplo é a Argentina, com quem o instituto apresentou Foz do Iguaçu (PR) como um destino compartilhado entre os dois países.

Em maio, o instituto participou da ITB China, maior feira de turismo do continente asiático. Na ocasião, uma comitiva de 12 organizações brasileiras dos setores público e privado participou de rodadas de negócios com receptivos chineses. Além disso, foram promovidos, em Shanghai, roadshows com a presença de mais de 600 representantes do trade local.

Também este ano, a Embratur lançou o “Mercado China”, com informações específicas do turismo chinês. O material foi desenvolvido com o intuito de aumentar a compreensão sobre o perfil do turismo chinês. O objetivo é subsidiar o trade brasileiro para que as empresas nacionais possam atender melhor às exigências dos turistas chineses. Para ter acesso ao documento, vá até o https://bit.ly/2OFjZkJ.

(*) Crédito da capa: reprodução de internet

(**) Crédito da foto: Divulgação/Embratur

Comentários