Estudo vai traçar perfil dos guias de turismo cadastrados no Mtur

Mtur- guias de turismoDiagnóstico é fundamental para entender melhor o segmento

A FENAGTUR (Federação Nacional de Guias de Turismo) vai desenvolver uma pesquisa para conhecer o perfil profissional dos guias de turismo cadastrados no Mtur (Ministério do Turismo). O estudo vai abordar áreas de atuação, estudos e qualificação, necessidades e expectativas da categoria. A estimativa é que o trabalho dure cerca de um ano e tenha seus resultados apresentados em maio de 2020, durante a 40ª CBGTUR (Congresso Brasileiro de Guias de Turismo)

De acordo com Aluizer Malab, secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, o diagnóstico é fundamental para entender melhor o segmento que possui grande valor no setor de Viagens. “Com a velocidade, amplitude e profundidade das transformações do mercado, precisamos conhecer o profissional do turismo e oferecer caminhos para atualizá-lo permanentemente sobre essas mudanças”, afirma. “Isso contribui para o aprimoramento das atividades dos guias, para nossas ações de valorização da profissão e especialmente para a formação ainda mais qualificada, construindo um turismo cada vez mais inovador", complementa.

O Cadastrur (Cadastro Nacional dos Prestadores de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo) possui, atualmente, 22 mil guias de turismo registrados. O cadastro é obrigatório para o exercício da atividade - recentemente o Setur-RJ abriu o credenciamento de guias em todo o estado, onde existe uma grande demanda por esses profissionais. 

A FENAGTUR planeja entrevistar cerca de 30% dos profissionais do Cadastrur em plena atuação em todas as regiões do país. “Conhecer o mercado turístico e a real atuação do guia de turismo nesse contexto, além de suas principais carências e expectativas, é essencial para a entidade conhecer os anseios de atualização da categoria”, disse o presidente da federação, Henrique Dantas.

Em Alagoas, por exemplo, dos 350 guias cadastrados entre 2013 e 2014, cerca de 59% exerciam a profissão e 57% deles concentravam as atividades em atrativos litorâneos. O estado conta com sete regiões turísticas que desenvolvem o PRT (Programa de Regionalização do Turismo) executado pelo Mtur em parceria com os estados e municípios. 

Dantas explica que uma das iniciativas foi intensificar  visitas técnicas aos destinos do interior do estado para requalificar os guias regionais atuantes em Alagoas. “O guia de turismo é um profissional essencial à distribuição dos serviços aos visitantes com atuação direta junto ao turista”, justifica. Para ele o profissional guia precisa saber “vender” experiências aos turistas, que já chegam com muitas informações sobre o destino e atrativos. “Precisamos ser criativos e inovadores. Até em Maceió, onde temos 16 museus e centros culturais, praticamente não atuamos nesse nicho de mercado”, afirma.

Mtur: a profissão

Os guias de turismo são classificados no Mtur como especializados em atrativos naturais ou culturais, guias regionais, de excursão nacional e internacional. São os profissionais que têm contato direto com os turistas e estão qualificados para acompanhar e assistir os visitantes, além de transmitir informações sobre os passeios e garantir o conforto e segurança dos mesmos. 

(*) Crédito da foto: Paulino Menezes/Mtur

Comentários