Experiência do cliente corporativo é destaque na abertura do FHAN

De Olinda, Pernambuco*

FHAN - palestra de aberturaMoreira, Daniella e Tanabe falaram sobre a relevância de se conhecer o cliente

O turismo corporativo foi o tema que abriu os debates da programação do FHAN (Fórum de Hospedagem e Alimentação do Nordeste). Participaram do painel Tanabe, diretor executivo da Abracorp (Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas); Nelson Moreira, gerente geral do ibis Recife Boa Viagem; e Danielle Bezerra, coordenadora de Viagens do Grupo Ser Educacional. O FHAN é das atrações do HFN (Hotel & Food Nordeste), aberta hoje (6) à tarde, em Olinda (PE).

Para uma plateia composta de hoteleiros e agentes de viagem, Tanabe explanou sobre segmentação e acompanhamento dos perfis de consumidores. Ele lembrou da importância de pesquisar o público para ter um melhor retorno sobre investimento (ROI) a fim de ter investimentos mais assertivos de recursos e maior produtividade para os produtos ofertados no mercado de viagens. A reflexão realizada reforça, entretanto, que os clientes podem ter perfis similares, mas não devem ser tratados como iguais.

De acordo com Tanabe, os maiores desafios da atualidade são a personalização no contato com o cliente e a conveniência. “É preciso estar sintonizado com as mudanças do mercado e o comportamento do consumidor final”, alerta. Um dos pontos de destaque é a cadeia de mobilidade que influencia na experiência e a percepção de valor do cliente. “A gestão da empresa precisa ser como um todo – antes, durante e depois da viagem – e atuar em alternativas para solução de problemas”, completa.

FHAN: tecnologia em foco

O debate levantado pelo diretor da Abracorp prosseguiu com Moreira pontuando que o segmento econômico passou a prestar mais atenção às exigências dos clientes. O assunto gerou grupos de estudo para avaliar melhor os consumidores. Já Daniella levantou o uso da tecnologia para antecipação da demanda para solução de problemas do cliente tanto no segmento em companhias aéreas, como hospedagem.

Agregar à tarifa cobrada na hospedagem aspectos conveniências como mobiliário adequado e restaurante com custo justo para atender ao ticket das empresas são vistos como diferenciais por Daniella. Já Moreira destaca o aspecto humano no atendimento. “O momento da verdade do cliente, desde o primeiro contato até o último, precisa ser mapeado”, finaliza.

(*) A reportagem do Hotelier News viaja a Olinda a convite da HFN

(**) Matéria de Marília Gilka, em colaboração ao Hotelier News

(**) Crédito da foto: Peter Kutuchian

Comentários