Grupo diRoma calcula prejuízos e se prepara para a retomada das atividades

grupo diRomaRede planeja reabrir suas unidades em junho

Com suas 13 unidades paralisadas desde o dia 22 de março, o Grupo diRoma vem levantando o tamanho do impacto do coronavírus na empresa e prospectando a retomada das atividades. A rede aproveitou a falta de hóspedes para instalar uma usina fotovoltaica em seus empreendimentos, realizar melhorias no restaurante do Thermas diRoma, além de doar seu estoque de alimentos para pessoas em situação de vulnerabilidade.

Em entrevista ao Hotelier News, Aparecido Sparapani, superintendente do grupo, fez um panorama dos prejuízos e de ações que estão sendo feitas para a reabertura. “As atividades em Caldas Novas estão paralisadas até o dia 4 de maio, pois não temos casos aqui. Nossa preocupação é com os turistas que vem de fora. Em reunião com o trade, estamos elaborando um protocolo de reabertura para o dia 1º de junho”, conta.

Operando com 20% das equipes em cada unidade para a manutenção das propriedades, o executivo afirma que, até o momento, a rede perdeu R$ 15 milhões. “Estamos trabalhando de acordo com as medidas decretadas pelo estado, transferindo reservas para outras datas, de acordo com alta e baixa temporada”.

Sparapani ressaltou a importância de manter uma equipe em constante contato com os clientes, adotando também as lives nas redes sociais e feedback por telefone com hóspedes que já haviam efetuado reserva para maiores esclarecimentos.

O diRoma ainda garante que está preparado para atender as demandas futuras de acordo com as novas normas de higienização e treinar os colaboradores que estão de férias. “Já temos um trabalho junto com a Vigilância Sanitária de procedimentos de higienização definidos com epidemiologistas”.

Grupo diRoma: Caldas Novas

Um dos principais destinos de Goiás, Caldas Novas depende muito do turismo para girar sua economia. Considerado um destino barato, tem como seus principais mercados emissores São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal. Em um primeiro momento, Sparapani conta que a ideia é trabalhar com turistas de cidades de até 500 km de distância, que optem por viajar de carro. “Um segundo passo será expandir esse raio, mas a retomada será lenta”, diz.

Mirando nas férias de julho, a rede reduziu em 15% seu tarifário para o período e afirma que não entra em guerra tarifária. “Soltamos nossas promoções, mas não vamos reduzir a um ponto que seja insustentável para nós. Estamos levando em conta os gastos que teremos ao reabrir os hotéis”.

(*) Crédito da foto: Divulgação/Grupo diRoma

 

Comentários