Hotelaria mexicana tem performance negativa em 2018, aponta STR

STRCancún e região apresentaram queda na diária média

Concorrente direto do mercado brasileiro, embora atraia muito mais turistas internacionais, a hotelaria mexicana teve desempenho negativo em 2018. A indústria local apresentou queda nos três principais indicadores do setor, apontam dados da STR. Os índices estão em linha com o alcançado no terceiro trimestre. Ainda assim, algumas regiões registraram performances positivas. 

O nível médio de ocupação no país, por exemplo, foi o mais baixo desde 2014, embora esteja parecido com alcançado em anos anteriores. Segundo analistas da STR, a queda observada no indicador tem relação com a alta na oferta (quartos disponíveis), que cresceu 2,4% frente a 2017. Já a demanda (room nights vendidos) avançou 1,1% na mesma base de comparação, em função das incertezas com as eleições presidenciais mexicanas e dos alertas emitidos pelo governo americano. 

No geral, a hotelaria mexicana viu a ocupação ceder 1,3% em 2018 (para 63,1%) na comparação com 2017. Já diária média e RevPar recuaram 0,6% (para 2.300,04 pesos) e 1,9% (para 1.450,53 pesos), respectivamente, na mesma base de avaliação.   

STR: praças em destaque

A região Noroeste, que inclui cidades como Monterrey e Saltillo, teve o melhor desempenho no país, com alta nos três principais indicadores. Ocupação, diária média e RevPar subiram 5% (para 65,8%), 4,5% (para 1.272,75 pesos) e 9,7% (para 837,86 pesos), respectivamente. Já a Cidade do México experimentou o segundo maior salto em ocupação (+3%, para 69,2%), o que redundou numa alta de 4% no RevPar (para 1.706,93).

Praça que inclui destinos conhecidos no Brasil, como Guadalajara e Puerto Vallarta, a região Central Norte teve a segunda maior queda no RevPar (-4,8%, para 1.037,37 pesos). Analistas da STR atribuem o resultado ao recuo de 3,6% na ocupação, que fechou 2018 a 61%. Já a Península de Yucatán, que inclui o concorrido mercado de Cancún, apresentou o único decréscimo na diária média em todo mercado mexicano (-0,6%, para 3.691,76 pesos).

(*) Crédito da capa: Obed Hernández/Unsplash

(**) Crédito da foto: Christian Córdova/Flickr

Comentários