Rio CBV promove encontro para discutir estratégias de divulgação do destino

RioCBV- encontroSonia: iniciativa privada carioca arregaçou as mangas para divulgar o destino

Na manhã de ontem (2), o Rio CBV (Rio Convention & Visitors Bureau) realizou o primeiro encontro do projeto Rio de Negócios. O evento contou com a presença de mais de 300 empresários do trade de turismo do Rio de Janeiro, que discutiram estratégias para melhorar o receptivo da cidade e atrair mais visitantes. Um dos pontos de destaque foi a divulgação do destino nos países isentos de visto brasileiro (Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão).

A iniciativa aconteceu no CRAB-Sebrae e reuniu diferentes players do mercado turístico carioca. Hoteleiros, agentes de viagens, empresários do setor de gastronomia e de lazer, entre outros, debateram ações para aumentar a retenção de viajantes na cidade. Segundo Sonia Chami, presidente do Rio CBV, esse foi o primeiro encontro do trade que busca verbas para investir na divulgação do Rio de Janeiro.

“Toda a cadeia produtiva do turismo do Rio de Janeiro estava presente. O segmento está se unindo para colocarmos o destino na prateleira. Já identificamos os gargalos e, agora, vamos definir os canais de divulgação e dar continuidade ao projeto”, explica Sonia. Ainda de acordo com a presidente, os órgãos públicos precisam se juntar ao segmento e ajudar a cidade a crescer. “O orçamento disponibilizado para divulgação do destino é pífio. Gostaríamos que os órgãos públicos participassem, pois a iniciativa privada está arregaçando as mangas”, salienta.

Rio CBV: próximos encontros

O encontro de ontem foi apenas o primeiro de muitos eventos que o Rio CVB planeja organizar pela causa do turismo. O próximo, ainda sem data, deve acontecer entre os meses de junho e julho. O objetivo é dar continuidade ao Rio de Negócios e promover feedback dos debates da iniciativa do último dia 2. 

“Queremos captar eventos em parceria com a iniciativa privada para divulgar o Rio de Janeiro. Também pretendemos participar de feiras do trade e buscar turistas que venham para cá, permaneçam e gastem mais”, ressalta Sonia. “O custo Brasil é alto, a conta não fecha. Precisamos crescer a oferta”, completa. 

No feriado da Semana Santa, embora não tenham sido divulgados números finais, a estimativa de ocupação na capital fluminense era 70%. De acordo com Sonia, o primeiro trimestre foi positivo no destino, mas ainda precisa melhorar. “Mostramos um bom início de ano com a recuperação econômica, mas ainda há muito trabalho a ser feito. O turismo não pode parar", finaliza. 

(*) Crédito da foto: Wengen/Pixabay

(**) Crédito da foto: Divulgação/Rio CBV

Comentários