Samba Hotéis planeja atingir 32 operações até 2025

samba hoteis- negóciosRede espera dobrar o faturamento em 2020 com os novos modelos de negócios

Visando melhorar as condições de investimentos de parceiros e evoluir a experiência do cliente, o Samba Hotéis anunciou no início do ano dois novos modelos de negócios. A rede agora trabalha com a gestão de unidades de marcas internacionais e lançou a soft brand by Samba, focada em oferecer serviços ao mercado de hotéis independentes. Desta forma, o grupo vislumbra atingir a marca de 32 operações até 2025.

Já no primeiro bimestre deste ano, o Samba passa a administrar o Best Western Rio Convention, buscando recuperar a rentabilidade do negócio. Esta é a quinta unidade da rede na capital fluminense e o pontapé inicial do trabalho do grupo com bandeiras internacionais. 

De acordo com o CEO, Guilherme Castro, a empresa foi escolhida pelo grupo de investidores do empreendimento. “O hotel estava com problemas de resultados e, por uma sintonia de valores, o Samba foi escolhido para gerir o negócio. Temos o foco em fazer de nossas unidades mais rentáveis, pensando no hóspede e no investidor”.

Segundo o executivo, os planos são expandir as operações com a Best Western e outras marcas estrangeiras, ainda em fase de negociação. “Pretendemos expandir com este modelo de junção de interesses, principalmente com redes que atuam em modelos de franquias. Nos próximos meses já teremos a confirmação”, conta.

Para 2020, a meta é incluir mais cinco unidades de gestão ao portfólio, destas três já estão com contratos assinados. Os destinos escolhidos para a expansão são Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Samba Hotéis: soft brand

Com a criação da submarca by Samba, a rede passa a aumentar sua penetração no mercado de hotéis independentes. A proposta é oferecer serviços de reservas, RM, análises financeiras, distribuição e comercialização com o know how do grupo. Até o momento, dois contratos foram fechados em Minas: Hotel Supreme Choice by Samba, localizado próximo ao Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte; e o Rio de Pedras by Samba, em Itabirito.

Este ano, a cadeia hoteleira busca atingir o número de 10 operações soft brand. Castro afirma que a expectativa é que estes hotéis atinjam até 30% de lucro bruto com a parceria. “Cada caso é um caso, mas esta é a nossa meta com este modelo de negócio. Independente dos nossos serviços, os hoteleiros que serão os tomadores de decisão”.

Com a implantação das novidades, o Samba Hotéis espera dobrar seu faturamento em 2020, chegando na casa dos 40%. 

(*) Crédito da foto: Divulgação/Samba Hotéis

Comentários