STR: América do Sul abre o ano de forma mais lenta

STRBuenos Aires teve melhor ocupação para janeiro desde 2012

Depois de um balanço geral positivo em 2018, a hotelaria sul-americana abriu o ano de maneira mais lenta. Em janeiro, a região apresentou queda nos três principais indicadores do setor. Ainda assim, alguns destinos registraram bons números, casos de São Paulo e Buenos Aires. Os dados são da STR.

Em janeiro, na comparação com igual período de 2018, a ocupação na região recuou 0,9%, fechando em 55,7%. Na mesma base de análise, a diária média cedeu 2% (para US$ 99,35), enquanto o RevPar diminuiu 2,9% (para US$ 55,32).

Como citado, a capital argentina teve bons números no mês passado, explicados pela inflação no país e pela desvalorização do peso ante ao dólar. Um dado chamou atenção: a ocupação teve acréscimo de 4,4%, chegando a 62% – melhor resultado para janeiro desde 2012. Em paralelo, diária média e RevPar registraram elevação de 103,7% (para 4,808,29 pesos) e 112,7% (para 2,981,09 pesos), respectivamente.

STR: São Paulo

No caso da capital paulista, a queda registrada na ocupação não ofuscou a 18ª expansão consecutiva na diária média. Ainda assim, o resultado do indicador ficou acima da média histórica do mês de janeiro, que é de 46,4%. Já diária média e RevPar apresentaram bom crescimento, com influência da alta do dólar frente ao real, informaram analistas da STR.

No geral, em janeiro, São Paulo apresentou queda de 1,4% na ocupação ante igual período de 2018, fechando em 47,3%. Já diária média e Revpar tiveram acréscimos de, respectivamente, 11,2% (para R$ 342,85) e 9,7% (para R$ 162,18), na mesma base de comparação.

(*) Crédito da foto: Sasha Stories/Unsplash

Comentários