STR: Américas do Sul e Central têm resultados negativos em abril

str abril américa do sulCusco, no Peru, destacou-se com alta nos três indicadores em abril

A hotelaria das América do Sul e Central não apresentou bons resultados em abril. Segundo levantamento da STR, os hotéis da duas regiões tiveram baixa nos principais indicadores do setor. Apesar disso, alguns mercados se destacaram poisitivamente, caso de Cusco, no Peru. 

Na comparação com igual mês de 2018, a ocupação das duas regiões caiu 3,2%, em 56,6%. No mesmo comparativo, a diária média caiu 18,5%, ficando abaixo dos US$ 100 (US$ 98,03). Os resultados causaram declínio no RevPar de 21,1%, que fechou o período a US$ 55,48. 

O resultado reitera o momento instável da hotelaria na duas regiões. Levantamentos anteriores da STR apresentaram um fraco desempenho desde o começo de 2019. No primeiro trimestre, houve queda de RevPar e diária média, com leve crescimento na ocupação. 

STR: destaques

Em contraponto ao resultado geral dos continentes, Cusco fechou abril com resultados positivos. De acordo com a análise, o mercado teve alta nos três indicadores devido ao feriado da Semana Santa. 

A cidade peruana teve crescimento de 4,8% (para 73,7%) na ocupação frente igual mês de 2018. Já a diária média, teve alta de 14,4%, o que puxou para cima o RevPar (+19,9%, para 368,96 soles). Especialmente na semana anterior à Páscoa, a ocupação alcançou 86,1%, com a tarifa diária cotada a 613,13 soles. 

Já Bogotá aparece como destaque negativo na pesquisa. A capital colombiana teve baixa de 9,7% na ocupação na comparação entre abril de 2019 e de 2018. A diária média, porém, teve alta de 3% (para  277.346,88 pesos). Mesmo assim, na comparação anual, o RevPar teve queda de 7%, a 147.834,46 pesos. 

Segundo a pesquisa, o desempenho de Bogotá se explica pela mudança das datas da Páscoa entre 2018 e 2018. No ano passado, o feriado caiu no primeiro dia de abril, enquanto, no ano passado,foi no dia 21. Em resultado, a cidade perdeu fluxo do turismo corporativo por mais dias. Bogotá, assim como São Paulo, depende das viagens de negócios. 

(*) Crédito da capa: LoggaWiggler/Pixabay 

(**) Crédito da foto: Felipe Lopez/Pixabay 

Comentários