STR traça panorama da hotelaria em evento na capital paulista

STR - Patricia ZulatoPatricia apresentou números e projeções para o mercado nacional

Hoje (24), no Grand Hyatt São Paulo, a STR promoveu evento de relacionamento com o mercado brasileiro. Primeira iniciativa do tipo no país, o encontro reuniu cerca de 50 profissionais de hotelaria, em especial de RM (Revenue Management). A ocasião serviu também para a empresa apresentar não só dados consolidados de 2018, como fazer projeções para 2019 no Brasil e no mundo. 

Com 62 mil clientes (8,2 milhões de quartos) em 180 países, a STR é uma referência global no fornecimento de indicadores para a hotelaria. No Brasil, a clientela da empresa, que anunciou parceria com a TOTVS, envolve 624 hotéis (100 mil apartamentos), quase que exclusivamente de redes.

Patricia Boo, Area Director Latam, abriu o encontro apresentando uma retrospectiva do desempenho da hotelaria mundial em 2018. No geral, à exceção do Caribe (-1,2%) e Oriente Médio (-5,7%), todas as regiões do globo registraram alta de RevPar sobre 2017. “Com crescimento assustador de oferta nos últimos anos, Dubai tem puxado para baixo a performance do Oriente Médio”, explicou a executiva. “Já na Europa, apensar do crescimento de 5,2% do RevPar, assistimos a uma desaceleração do mercado”, completou.  

Nos Estados Unidos, o crescimento de 2,9% no RevPar marcou o nono ano consecutivo de expansão do indicador. “Ainda assim, tal qual a Europa, o mercado desacelera também. Há ainda um tema importante: a elevação dos custos de mão de obra está pressionando a rentabilidade do setor”, comentou Patricia. Ela acrescenta que a previsão de elevação do RevPar nos EUA é de 2,3% este ano.  

Na América Latina, índices inflacionários turbinaram os resultados da região, que fechou com alta nos três indicadores do setor. “Destaque para Cusco, no Peru, que registrou as melhores performances na região”, destacou. “Ao lado de Lima, os dois destinos apresentam também a melhor rentabilidade no continente, muito em função dos custos mais baixos de mão de obra”, completou. 

STR: cenário Brasil

Em sua fala no encontro, Patricia Zulato, country manager Brasil da STR, abordou o panorama da hotelaria brasileira em 2018. Depois de três anos, e recessão econômica mais aguda, o setor registrou alta nos três principais indicadores do setor. 

“Olhando o histórico dos últimos 10 anos, vê-se perfeitamente que o desempenho do setor anda junto com a performance do PIB (Produto Interno Bruto)”, comentou a executiva. “A partir de 2015, começa queda acentuada de demanda, com o adendo de que a oferta continuou a crescer. Só a partir do segundo semestre de 2017 se notou uma reação e, a partir do final de 2018, passamos a ver a demanda subindo acima da oferta”, acrescentou.

Em 2018, São Paulo registrou a melhor ocupação do país, sendo um grande destaque. Já o Rio de Janeiro, com a retomada gradual do segmento corporativo, voltou a ter a maior diária média. Patricia ressaltou também a importância de grandes eventos para impulsionar o desempenho das praças que os recebem. 

“Mapeamos anualmente o Carnaval e a etapa de Fórmula 1 em São Paulo. No primeiro caso, é nítida a evolução nos últimos anos, com elevação de dois dígitos no RevPar. Já no segundo, a realização do Salão do Automóvel de maneira simultânea turbinou ainda mais os resultados (veja abaixo)”, disse Patricia.

STR - Fórmula 1 SP 

Já em relação a 2019, Patricia apresentou números do primeiro trimestre e estimativas para o fechamento do ano no mercado paulista. “De janeiro a março, foi registrada a maior alta de diária média dos últimos anos. A cidade, que já havia finalizado 2018 com crescimento de RevPar, abriu o ano com manutenção das taxas em dois dígitos de expansão”, ressaltou.

Para o fechamento do ano, a STR estima alta de 6% no RevPar da cidade. “Na nossa avaliação, esse crescimento será mais puxado pela diária média do que pela ocupação”, disse Patricia.  “Além disso, medidas recentes como a isenção do visto para alguns países, assim como a privatização de aeroportos, tendem a causar impacto positivo para todo mercado hoteleiro nacional”, finalizou.

(*) Crédito das fotos: Vinicius Medeiros/Hotelier News

(**) Crédito das imagens: Divulgação/STR

Comentários