';
julio cosentino - tres perguntas para

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Três perguntas para: Julio Cosentino

Por Nayara Matteis 9 de setembro de 2020

Com 50% de sua receita composta por demandas do segmento hoteleiro, a RenTV sentiu o efeito dominó causado pela crise. Com seu principal mercado em colapso, a empresa locadora de equipamentos para academia e eletroeletrônicos optou por somar ao invés de ser mais uma pedra no sapato do setor, segundo Julio Cosentino, diretor executivo e sócio da marca.

“A pandemia ao meu ver foi muito boa para que todos pudessem avaliar melhor os seus fornecedores, e a RenTV também reavaliou os seus. No nosso caso, eliminando alguns poucos que tínhamos contratos vigentes e que simplesmente não aceitaram qualquer negociação”, afirma em entrevista ao Hotelier News.

O economista de 53 anos afirma estar otimista quanto à retomada e conta que a empresa mergulhou em estudos para lançar novos produtos que auxiliassem o mercado neste novo momento. “A RenTV está reduzindo custos, como a maioria das empresas no Brasil, e aproveitamos a pandemia para estudar novidades para lançar ao mercado. A nossa pesquisa e negociação nos levou a um produto inovador”.

Para saber quais os lançamentos da marca, leia a entrevista na íntegra a seguir.

Três perguntas para: Julio Cosentino

Hotelier News: A RenTV atua com aluguéis de eletroeletrônicos e equipamentos para academias. Entre os dois segmentos, qual foi o mais afetado pela crise? Como a empresa esta contornando os prejuízos?

Julio Cosentino: Os dois caminharam juntos durante a crise com hotéis e academias fechados. Por outro lado, como a retomada já está acontecendo e de forma consistente na hotelaria de lazer, alguns hotéis já solicitaram mais equipamentos para as suas academias. Ampliamos o fitness center de um empreendimento no eixo Rio-São Paulo, e acabamos de montar a academia do novíssimo My Mabu, em Foz do Iguaçu, que estava com 100% de ocupação no feriado. Estes exemplos nos deixam muito otimistas para a recuperação até o final do ano.

A RenTV está reduzindo custos, como a maioria das empresas no Brasil, e aproveitamos a pandemia para estudar novidades para lançar ao mercado. A nossa pesquisa e negociação nos levou a um produto inovador que é o Silver Defender, fita com base em nanopartículas de prata, para as áreas comuns dos hotéis. Elas matam até 99,99% de germes, vírus e bactérias, permitindo segurança nos espaços e eliminando a necessidade de limpeza. Também acabamos de assinar um contrato de distribuição exclusiva de um fabricante americano que ainda será lançado.

HN: Como fica a relação com os clientes? De que forma a RenTV está redesenhando demandas e contratos?

JC: Muito diálogo e transparência com cada um dos nossos clientes, desde o dia 16 de março, quando foi anunciado o início da pandemia e que vem acontecendo a cada mês, com o objetivo de redesenhar demandas e contratos, considerando o momento de retomada de cada um e avaliando também as ocupações. Estamos garantindo que a RenTV não seja mais um problema e, felizmente, conseguimos colher grandes resultados e nos aproximamos ainda mais dos nossos parceiros.

HN: Na sua visão, como será a relação com o mercado hoteleiro daqui pra frente? O que vai mudar no pós-pandemia?

JC: A pandemia ao meu ver foi muito boa para que todos pudessem avaliar melhor os seus fornecedores, e a RenTV também reavaliou os seus. No nosso caso, eliminando alguns poucos que tínhamos contratos vigentes e que simplesmente não aceitaram qualquer negociação. Tenho uma visão otimista, que após a vacina o mundo voltará ao bom e velho normal, e que todo o nosso mercado voltará a sorrir sem máscara.

(*) Crédito da foto: Arquivo pessoal