';

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Três perguntas para: Tatiana Menezes

Por Nayara Matteis 28 de maio de 2020

Tatiana Menezes - Três perguntas paraTatiana atua no mercado de eventos há mais de 15 anos

Dinâmica e empenhada em conectar pessoas, Tatiana Menezes busca fazer pontes entre as indústrias nas quais atua com seu público comprador. Diretora de Marketing da Insight Feiras & Negócios, empresa organizadora da HFN (Hotel & Food Nordeste), a executiva busca incentivar o mercado nordestino, sua terra natal.

Com 39 anos e natural de Recife (PE), a profissional é formada em Hotelaria e pós-graduada em Marketing e Vendas. Atuante no setor de eventos há mais de 15 anos e, em feiras de negócios há oito, Tatiana já esteve à frente do Recife Convention & Visitors Bureau como diretora e da Reed Exhibitions Alcântara Machado, no cargo de diretora regional.

Em janeiro de 2017, fundou a Insight ao lado de sócios com a proposta de promover negócios e gerar conteúdo. “Somos uma empresa que veio para conectar pessoas em toda a região Nordeste. Nosso know how é mais amplo do que realizar feiras. Trabalhamos com marketing digital para ligar fornecedores e compradores 365 dias do ano, utilizando nosso banco de dados para desenvolver conteúdos de qualidade”, ressalta.

Três perguntas para: Tatiana Menezes

Hotelier News: Como uma profissional que atua no mercado nordestino que vive muito do turismo, vc acredita que a região terá mais dificuldade em se recuperar da crise?

Tatiana Menezes: O turismo tanto no setor de hotelaria quanto de alimentação e em toda a sua cadeia produtiva é sempre o primeiro a ser impactado em qualquer crise, especialmente uma como essa, que demanda distanciamento social, e o último a sair. A região Nordeste é muito forte neste aspecto e depende muito do turismo e somos o segundo maior polo de alimentação do Brasil. A recuperação da crise será um pouco demorada, mas já está havendo o planejamento de retorno de vários setores e os governo estão contribuindo para que a economia possa acelerar o processo, com incentivos inclusive para o turismo nacional. Quando a retomada acontecer, a região Nordeste certamente será um dos destinos mais procurados por esses turistas.

HN: Quais as medidas que a organização da HFN está adotando para minimizar os impactos da crise? Como fica a relação com parceiros?

TM: Primeiro, a gente estávamos sobre a data da realização do evento que atendesse as necessidades do expositor quanto do comprador. Hoje temos quatro feiras em nosso portfólio: uma de Saúde, de Odontologia, de Franquias e HFN. Fizemos uma pesquisa com nossos expositores e compradores sobre a questão de alteração da data e decidimos adiar. Sempre trabalhamos com marketing de conteúdo e estamos intensificando essas ações realizando lives nas redes sociais quase que diariamente. Estamos trazendo personalidades nacionais que possam colaborar com toda a cadeia produtiva tanto do setor de turismo quanto dos segmentos das outras feiras que realizamos.

HN: Eventos podem causar grandes aglomerações. Com a retomada das atividades, é possível que a maioria das pessoas ainda tenha receio de participar de ações com alto índice de público. Como o mercado vai se adaptar a isso?

TM: Neste ponto, acredito que nunca mais será como antes. No pós-pandemia as pessoas estarão sim com receio de grandes aglomerações e o que podemos fazer é adotar todos os cuidados necessários como utilizar o máximo possível de distanciamento, sem apertos de mão e medidas de higiene. O ser humano precisa do ser humano, e feiras de negócios nunca vão deixar de acontecer. Já tivemos outras pandemias, talvez a comunicação esteja mais acelerada por termos hoje diversas plataformas que ajudam na chegada das informações, mas a necessidade do face to face sempre vai existir.

Estamos vendo muitas pessoas com problemas psicológicos e, inclusive, estamos fazendo lives sobre estes assuntos. Talvez algumas empresas que ainda não haviam adotado o digital passem a utilizar plataformas de comunicação. No caso da Insight, nós já fazíamos isso e estamos buscando mais ferramentas para que possamos contribuir cada vez mais.

(*) Crédito da foto: Divulgação/Insight Feiras & Negócios