';

"Novas fases, muitas mudanças e novidades para vocês!"

Vinicius Medeiros
Editor-Chefe
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Confiança do empresário do setor de serviços cai em janeiro

Por Redação 30 de janeiro de 2020

Setor de servicos - confiança do empresário_janeiro 2020Indicador medido pela FGV recuou para 96,1 pontos em janeiro

Após duas altas mensais seguidas, o ICS (Índice de Confiança de Serviços) caiu 0,1 ponto em janeiro frente ao mês anterior. Medido pela FGV (Fundação Getulio Vargas), o indicador recuou para 96,1 pontos, 0,7 pontos inferior ao registrado em igual mês de 2019. Em dezembro, segundo a FGV, a alta verificada havia sido de 0,7 ponto. 

Em médias móveis trimestrais, o ICS avançou 0,7 ponto, mantendo tendência ascendente iniciada em julho de 2019. A variação negativa do indicador impactou seis das 13 principais atividades pesquisadas. Na avaliação da FGV, a queda foi determinada pela piora das avaliações sobre o momento atual.

De fato, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o volume de vendas do setor de serviços caiu em novembro. Foi o pior resultado para o mês em três anos, interrompendo ainda dois meses de ganhos no indicador. Ainda assim, o instituto projeta alta no acumulado de 2019. 

“A ligeira queda em janeiro foi decorrente de resultados distintos de seus dois componentes. O Índice da Situação Atual recuou, enquanto o Índice de Expectativas avançou, ultrapassando a marca de neutralidade (100 pontos)”, explica Rodolpho Tobler, economista da FGV IBRE. “A combinação desses resultados sugere continuidade da recuperação do setor, mas ainda em ritmo lento e gradual”, completa.

Setor de serviços: mais números

O ISA-S (Índice de Situação Atual) recuou 1,4 ponto, passando a 91,5 pontos, menor nível desde setembro de 2019 (90,2 pontos). Já o IE-S (Índice de Expectativas) subiu 1,2 ponto, para 100,9 pontos, maior valor desde janeiro de 2019 (104,6 pontos). Por fim, o Nuci (Nível de Utilização da Capacidade Instalada) aumentou 0,4 ponto percentual, para 82,3%, patamar mais alto desde abril de 2018.

Em janeiro, a diferença entre os componentes que compõem o ICS (ISA-S e IE-S) voltou a aumentar para 8 pontos, maior desde abril de 2019 (8,9 pontos). Na comparação interanual, contudo, houve queda considerando a diferença de 14,1 pontos em janeiro de 2019.

(*) Crédito da foto: Sergio Moraes/Reuters