Parceria da Latam com o governo do Ceará vai aumentar fluxo de voos em Fortaleza

Ceará e LatamAumento no fluxo de voos da Latam será para Fortaleza

O governo do Ceará e a Latam Brasil iniciam uma parceria para retomar, ampliar e criar novos voos nacionais e internacionais partindo de Fortaleza. A previsão inicial, que consta no termo assinado pelas duas partes, é aumentar em 25% o número médio frequências domésticas da empresa no aerorto da capital cearense. Na relação dos internacionais, a ideia é passar de dois para dez voos semanais na movimentação do complexo.

Uma ação complementar, da Latam Travel planeja ações coordenadas com o objetivo de concentrar esforços para promover a capital cearense como um dos principais destinos turísticos da operadora no Brasil. A ideia é aproveitar a capilaridade da sua rede de lojas e o incremento de malha aérea previsto para a cidade. 

Dentro do acordo, um destaque é o anúncio de voos diretos entre Fortaleza e Orlando, que começam a partir do dia 05 de julho (duas frequências semanais). Também foi confirmada a terceira frequência semanal que será inaugurada entre a capital cearense e Miami, a partir do dia 01 de julho.

“Estamos muito felizes com este acordo, que nos assegura incentivos fiscais que permitem o aumento de nossa malha aérea no Estado", afirma Jerome Cadier, CEO da Latam Airlines Brasil. "Nossa intenção é contribuir ainda mais para que o Aeroporto Pinto Martins seja um importante centro de conexões de voos e de passageiros, estimulando o desenvolvimento da região”, complementa.

Camilo Santana, governado do Ceará – elogiado por suas iniciativas em favor do turismo –, também enatltece a parceria. "O Ceará vive um momento de expansão do turismo e de crescimento de nossa economia. Temos nos preparado cada vez mais para essa nova realidade, pois estamos nos tornando um dos principais centros de conexões de voos do país”, afirma.

Contrapartida do Ceará para a Latam

A partir do início das novas operações, a companhia será isenta do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) sobre o QAV (Querosene de Aviação). A companhia ainda fica livre de pagar tributos sobre importação de peças de manutenção e de aeronaves, transporte doméstico de cargas e alimentos e provisões de bordo.

(*) Crédito da foto: ThePixelman/pixabay

Comentários