SiteMinder: hotéis acreditam no potencial das vendas diretas, mas investem pouco no mobile


Relatório divulgado pelo SiteMinder apontou uma visão interessante sobre um tema quente na hotelaria: vendas diretas. Segundo o estudo, os hotéis acreditam que seus sites são tão eficazes para gerar reservas diretas quanto Google ou TripAdvisor. Ainda assim, a pesquisa mostrou que poucos empreendimentos investem em tecnologias para dispositivos mobile, plataforma mais utilizada para reservas pelos clientes.

O estudo Global Hotel Bussiness Index mostrou que 57% dos entrevistados creem que seus sites farão a maioria das reservas diretas em 2018. Percentual idêntico acredita no TripAdvisor, enquanto 56% apostam no Google. Para o SiteMinder, plataforma de serviços em nuvem para o setor hoteleiro, o tema venda direta é bastante relevante. Em março, em evento durante a WTM-LA, a empresa promoveu um evento para discutir estratégias de distribuição. O Hotelier News foi parceiro na organizaçãodo encontro, que contou com a presença de Mateus Coelho , gerente de Vendas do SiteMinder para Portugal, Espanha e Brasil.

“Estes canais oferecem uma poderosa frente de ataque que é dominante,” explica a análise da SiteMinder. “Parece que há uma distinção na maneira em que as redes sociais são usadas, com os resultados indicando que são como uma forte ferramenta de engajamento, mas não necessariamente uma que performa bem para gerar reservas diretas”, completa.

SiteMinder - estudo vendas diretasSó 11% dos hotéis investem em marketing para mobile

SiteMinder: mais dados

A maioria dos gastos de marketing voltados para gerar reservas diretas é direcionada para anúncios de agências de viagem on-line (74%). No entanto, 26% dos entrevistados revelaram preferência pelos motores de pesquisa (26%). Outros apostam nas redes sociais e em ações de e-mail marketing (22% para cada um). 

Apenas 11% dos hotéis investem em marketing para dispositivos móveis e apenas 7% em vídeos. Vale destacar que, hoje, pesquisas mostram que dispositivos mobile são as plataformas mais usadas para pesquisa e compra de passagens aéreas e reservas de hotéis, o que mostra certo contrassenso na opção dos empreendimentos ouvidos. Outro dado reforça essa impressão: somente 32% creem que a otimização de dispositivos móveis trará êxito para o seu hotel.

A pesquisa também revelou as maiores e menores prioridades, em termos de investimento em tecnologia dos hotéis. Segundo a pesquisa, 61% priorizam recursos em marketing digital e 56% em tecnologia hoteleira, como sistemas de gestão de canais. 

Desafios

Ainda que o marketing digital seja prioridade, apenas 42% dos hotéis afirmaram investir em redes sociais, consideradas uma preocupação menor. A tecnologia orientada ao cliente, como portas de quartos sem chave, é vista como menos relevante: apenas 17% do orçamento é direcionado para essas modernizações.

Os três grandes desafios que os hotéis esperam enfrentar este ano são as novas formas de administrar a sua receita e os seus lucros (71%), a satisfação dos clientes nos seus comentários on-line (68%) e a melhora na gestão e distribuição dos seus canais (52%). Saber que tecnologia instalar é considerado como um dos problemas menos desafiadores (30%).

(*) Crédito da foto: FirmBee/Pixabay

Comentários