STR: Ásia-Pacífico abre 2019 com resultados irregulares

STR- desempenho na Ásia-PacíficoTaxa de ocupação em Bagkok chegou a 84,1% em janeiro

O mercado hoteleiro da Ásia-Pacífico teve um janeiro de altos e baixos. Dados da STR apontam que a região abriu o ano com números irregulares, com apenas um indicador no campo positivo. Enquanto ocupação e RevPar recuaram frente igual período do ano passado, a diária média teve leve expansão. Bangkok e Hong Kong conseguiram fugir um pouco desse cenário desarmônico.

No geral, sempre na comparação anual, os hotéis da região registraram queda de 1,3% na ocupação, fechando em 65,9%. Em contrapartida, a diária média cresceu 0,6%, a US$ 102,53. Ainda assim, o indicador não foi o suficiente para cobrir a queda do RevPar de 0,7%, a US$ 67,52. O desempenho ficou abaixo do verificado na Europa e nos Estados Unidos em janeiro.

Como citado, Bangkok teve desempenho positivo, com alta nos três principais indicadores do setor. A ocupação na capital tailandesa, por exemplo, chegou a 84,1%, expansão de 2,4% frente igual período de 2018. Na mesma base de comparação, diária média e RevPar cresceram 1,6% (para 3.699, 85 thai bahts) e 4% (para 3.084, 65 thai bahts), respectivamente.  

Segundo analista da STR, a performance em Bangkok foi puxada pelo desempenho dos segmentos upper uspacle e upper midscale. Enquanto a demanda (room nights vendidos) no primeiro cresceu 8,8%, a da segunda subiu 10,2%. No geral, o indicador subiu 4,8% na cidade, superando a oferta (inventário disponível), que aumentou 2,4%. A base de comparação é sempre anual.

STR: Hong Kong

No antigo protetorado inglês, o desempenho foi ligeiramente inferior a Bangkok. A menor diferença entre a alta na demanda (+1,8%) e oferta (+1,2%) ajudam a entender a razão – sempre frente janeiro de 2018. Segundo a STR, a inauguração da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, no final do ano passado, estimula o turismo interno e influencia na performance. O mesmo raciocínio se aplica à recém-aberta da ligação ferroviária de Cantão-Shenzhen-Hong Kong.

No geral, a taxa de ocupação em Hong Kong recuou 0,6% frente a janeiro de 2018, a 90,1%. Apesar da queda, trata-se da segunda melhor performance (em números absolutos) no indicador para o mês na série histórica da STR. Para compensar, diária média e RevPar tiveram expansões robustas. O primeiro aumentou 9,6% (para 1.260,34 yuans), enquanto o segundo avançou 9% (para 1.136,04 yuans), na mesma base de comparação.

(*) Crédito da capa: teetasse/Pixabay

(**) Crédito da foto: Aden/Pixabay

Comentários