';
Paulo Salvador - CEO Modularis

"Novas fases, muitas mudanças e novidades para vocês!"

Vinicius Medeiros
Editor-Chefe
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Paulo Salvador assume como CEO da Modularis

Por Camila Gallate 19 de novembro de 2020

Já imaginou reduzir o tempo de construção de um hotel, de forma que, enquanto as estruturas são erguidas, os quartos são criados paralelamente em uma fábrica? Pois a construção modular entrega essa praticidade, que agora está disponível para a hotelaria nacional. E o executivo por trás disso é Paulo Salvador, que volta ao Brasil para assumir como CEO da Modularis

Segundo o executivo, o mercado para este tipo de serviços ainda está em fase inicial. “Percebemos outras empresas se movimentando. A vantagem da Modularis é que ela já tem 10 anos de existência. É referenciada por mais de 150 grandes empresas brasileiras”, explica Salvador.

Antes de falar do mundo de negócios, talvez seja necessário aprofundar-se no tema. Afinal, o que é construção modular? “É um modelo construtivo que chamamos de ambiente controlado. Isto é, utiliza-se técnicas da produção industrial para controlar todas as etapas da produção, seja de um hotel ou residência, dentro de uma fábrica. Você faz as paredes, colunas, revestimentos, banheiro, chega até o ponto de fazer o quarto montado “, esclarece Salvador.

Assim, o quarto sai da fábrica praticamente pronto. Depois de carregado no caminhão, chega à obra e o módulo é empilhado “como se fosse um lego”. “E assim vão sendo montados os andares. É possível construir prédios de até 26 andares dessa forma”, adiciona Salvador.

Paulo Salvador: vantagens e cenário

Entre os principais benefícios da construção modular, Salvador destaca a sustentabilidade. “Uma vez que parte da obra é dentro de uma fábrica, onde tudo é minimamente calculado, é possível reaproveitar materiais. Praticamente não há desperdício nesta etapa”, explica. Já a segunda grande vantagem é a economia de custo. “Como é produzido em série, é possível ter uma redução de custos na construção dos quartos”, completa.

Há ainda uma terceira vantagem, já citada anteriormente: a redução pela metade do tempo de construção de um prédio. “Enquanto a propriedade está sendo erguida, os quartos estão sendo fabricados em um ambiente controlado. Quando termina, você sincroniza a obra com a entrega dos apartamentos, encaixa um atrás do outros e, em três meses, está tudo montado.”

No exterior, a prática da construção modular já foi aderida por empresas como a Marriott International. “Hoje 35% dos hotéis são construídos por meio da construção modular”, afirma Salvador, sem cita a fonte da informação. “Há também uma rede holandesa que tem 70% de suas unidades construídas nesse modelo”, pontua Salvador.

Já no Brasil, o executivo aponta alguns players já estabelecidos, mas no mercado imobiliário residencial. “Há outros que já desenvolveram alguns projetos com a Samba Hotéis, mas tudo ainda é incipiente. A maioria dos projetos de hotéis ainda é construída de forma tradicional, que leva cerca de 18 meses”, comenta.

Há mais de 10 anos no Brasil, a Modularis tem amplo portfólio na área industrial, fazendo projetos para empresas como Ambev, Scania e Volkswagen. “E, agora, estamos entrando no segmento residencial e hoteleiro. Estou voltando para o Brasil para justamente assumir a empresa e esse segmento, que é bastante promissor”, finaliza.

(*) Crédito da foto: Vinicius Medeiros/Hotelier News