';

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Subsidiária da Accor, Gekko Group tem caso de vazamento de dados confirmado

Por Vinicius Medeiros 27 de novembro de 2019

Vazamento de dados - Accor e Gekko Group_internaNão há indicação de que vazamento tenha fins fraudulentos, informou a Accor

Subsidiária da Accor, o Gekko Group teve um caso de vazamento de dados confirmado há poucos dias. A informação é do site Security Magazine, que revela que uma base de dados de 600 mil clientes foi afetada. Procurada pela reportagem do Hotelier News, a Accor enviou nota oficial sobre o assunto (leia o texto completo ao final da reportagem).

A rede francesa informou que, até o momento, "não tem indicação de que tal vulnerabilidade tenha sido provocada para fins fraudulentos". Além disso, confirmou que a falha de segurança foi imediatamente corrigida e que todos os clientes (B2B) afetados foram informados. 

Baseado na França, o Gekko Group é especializado em distribuição de hotéis B2B. A aquisição por parte da rede francesa foi anunciada em 2017, mas a conclusão da transação só ocorreu esse ano. A empresa é dona também de marcas ligadas à hotelaria, casos da Teldar Travel e da H-Corpo, cujas bases de dados foram as mais expostas, informa a reportagem.   

Citando um estudo da vpnMentor, site especializado em cibersegurança, o portal diz que 1 terabyte de dados foi vazado. Isso inclui informações das marcas do Gekko Group e de seus clientes, além plataformas com as quais a empresa se comunica. Booking.com e Hotelbeds são exemplos, revela a Security Magazine.  

Nomes, endereços, e-mails, detalhes das reservas e até dados financeiros, como números de cartões de crédito, estão entre as informações vazadas. Clientes do seguintes países foram afetados: Espanha, Reino Unido, Holanda, Portugal, França, Bélgica, Itália e Israel.

Vazamento de dados: outros casos

Gradualmente, a indústria de viagens entra no radar de hackers. Ainda assim, pesquisa conduzida pela GlobalData aponta que apenas 37% das organizações do setor confirmam fazer “fortes investimentos” em cibersegurança. Fato é que, desde o ano passado, casos de ataques e vazamentos vêm se repetindo. 

O mais emblemático envolve a Marriott International, que teve informações de 500 milhões de clientes vazados. A rede americana, por sinal, pode receber uma multa de £ 99 milhões do ICO (Information Comissioner’s Office), órgão britânico de proteção de dados pessoais.

Outros casos ocorridos neste ano envolvem a Resbird Technologies, parceira do Amadeus na Índia, e a British Airways, que foi autuada em £ 183 milhões pelo ICO. Dentro da hotelaria, a Choice Hotels teve dados de 700 mil clientes roubados.

Leia na íntegra o posicionamento oficial da Accor:

“Teldar & H-Corpo, duas empresas de propriedade direta da Gekko Holding, foram notificadas sobre um incidente de segurança envolvendo um de seus servidores que armazenam arquivos de log (registro de dados).

Até o momento, o Grupo Accor não tem indicação de que tal vulnerabilidade tenha sido provocada para fins fraudulentos.

A falha de segurança foi imediatamente corrigida. Continuamos nossas investigações e realizamos verificações adicionais para garantir a tradicional segurança e robustez contínua de nossos sistemas.

Todos os clientes (B2B) afetados foram informados e foi criada assistência exclusiva para apoiá-los na comunicação com seus consumidores e no cumprimento de suas obrigações legais.”

(*) Crédito da capa: TheDigitalArtist/Pixabay

(**) Crédito da foto: typographyimages/Pixabay​