';

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

IHG segue apostando em bandeiras de luxo mesmo com a pandemia

Por Redação 22 de julho de 2020

IHG - expansão regentParte da expansão da Regent será fruto de conversões

Durante o mês de abril, a IHG (InterContinental Hotel Group) garantiu novos acordos de financiamento para fortalecer o caixa. Com liquidez garantida, mesmo em tempo de coronavírus, a rede continua a expandir seu portfólio. O grupo vem avançando com os planos de expandir a  bandeira de luxo Regent, da qual assumiu uma participação de 51% em 2018. As informações são do Skift

Após a abertura do Regent Shanghai Pudong no início deste ano, a empresa continua comprometida com seu objetivo de aumentar a marca. Elevando-a de um pequeno portfólio de sete propriedades na Ásia e na Europa, para uma presença global maior, ainda que meio a uma pandemia global.

“Nosso objetivo com a Regent não é que seja a maior marca de hotel do mundo. Sempre dissemos 40, talvez 50, hotéis ”, disse Jane Mackie, vice-presidente sênior de Marketing Global de marcas de luxo da IHG. "Ainda tenhamos um bom pipeline sólido para a Regent."

Os hotéis Regent planejados incluem uma propriedade em Phu Quoc, Vietnã – com inauguração prevista ainda este ano, e uma em Bali, na Indonésia, com previsão para inaugurar em 2021. "Nos dois casos, não houve atrasos significativos na construção", afirma Jane. "Realmente, estamos apenas analisando o momento, do ponto de vista comercial, de quando faz sentido abrir".

Ainda que não seja o melhor dos cenários para acelerar um impulso no mercado de luxo, os números já começam a apresentar sinais positivos. A ocupação média de 20% do hotel no Vietnã em junho é superior à baixa de 12,5% alcançada em abril, de acordo com o STR, mas ainda quase 68% abaixo do ano anterior.

Segundo Jesper Palmqvist, diretor da região Ásia-Pacífico da STR, o Vietnã conseguiu crescer e manter um perfil de viajante doméstico como uma correção de curto prazo. "Aproveitando as tendências de estadia no sábado, elevando a ocupação em até 35% nas últimas semanas", disse. Estabelecer uma bolha de viagens com vizinhos como Laos e países como Cingapura e Japão é outra alternativa para impulsionar a recuperação do Vietnã”.

IHG: novos hotéis

"Uma conversão do InterContinental Hong Kong, anteriormente um Regent, reverterá a propriedade de volta à sua bandeira original no próximo ano", acrescentou Jane. Propriedades em Jacarta, Indonésia, Kuala Lampur, Malásia, e Chengdu, China, devem ser entregues entre 2022 e 2023.

A IHG antecipa ainda que parte do crescimento da marca Regent virá de conversões de marca. A exemplo da propriedade de Xangai, originalmente um Four Seasons, e a renovação de Hong Kong. Mas a maior parte do pipeline de desenvolvimento imediato está ligada a projetos de novas construções. Há, porém, empecilhos causados em todo o setor, devido aos bancos que ainda estão desconfiados de investir em hotéis, por causa do retorno incerto da demanda de viagens.

Ainda que otimista, a marca compreende que mesmo o setor de ultra luxo não está acima do impacto do coronavírus. Mas a aposta está no futuro, para tempos pós-pandemia. “Esses hotéis são peças de longa duração. Os investidores nesses hotéis são investidores de longo prazo. Muitas vezes, é tanto um retorno sobre o ego quanto um retorno sobre o patrimônio quando você investe em algo assim porque é uma propriedade do tipo marco", disse Steve Carvell, professor da Escola de Administração de Hotéis da Universidade de Cornell. "Os tipos de investidores nesses tipos de coisas são muito diferentes de alguém que investiria em um Hampton Inn."

(*) Crédito da foto: Divulgação/IHG