Pipeline latinoamericano continua em queda, diz Lodging Econometrics

lodging econometricsMéxico lidera o pipeline latinoamericano com mais de 200 projetos

De acordo com relatório recente da LE (Lodging Econometrics) para o segundo trimestre de 2019, o pipeline hoteleiro da América Latina continua em declínio. Atualmente, a região conta com 710 projetos em desenvolvimento, que representam 123.392 quartos. O número de projetos é o menor para a região desde o quarto trimestre de 2013 e menor do que o apontado em junho pela LE. Cenário de baixa também foi apontado por relatório do STR, que mostrou queda de 7,1% no número de apartamentos em desenvolvimento no comparativo anual.  

Dos projetos, 321 (56.228 quartos) já estão em construção. Com previsão de início das obras nos próximos 12 meses, a região conta com 208 projetos (35.733 quartos), que é um recorde de quartos neste estágio. O restante, 181 projetos (31.431 quartos), ainda estão em estágio inicial de desenvolvimento. 

Em relação a inaugurações, a América Latina ganhou 56 novos hotéis no segundo trimestre deste ano, aumentando a oferta em 10.938 quartos. A LE prevê mais 89 aberturas (13.294 quartos) até o fim do ano. Em 2020, a previsão é que mais 161 hotéis (26.331 quartos) incrementem o portfólio da região. Em 2021, 164 projetos (24.470 quartos) devem ser inaugurados.

Lodging Econometrics: mercados 

México lidera o pipeline hoteleiro da região com 203 projetos (36.188 quartos) em desenvolvimento. Seguido pelo Brasil, que conta com 156 hotéis (25.991 quartos) em planejamento. Esses dois países são responsáveis por 51% do total de projetos em pipeline da América Latina. 

Logo atrás dos líderes, aparecem a Colombia com 46 projetos (7.267 quartos) e o Peru com 43 projetos (6.055 quartos). Por fim, alcançando récorde de hotéis em pipeline, a República Dominicana contabiliza 35 projetos (11.053 quartos). 

Entre as cidades da América Latina com os maiores pipelines estão Lima (31 projetos / 4.782 quartos), Cidade do México (28 projetos / 4.849 quartos), Cancún, México, (19 projetos / 8.947 quartos), São Paulo (17 projetos / 2.704 quartos) e Cartagena, na Colômbia, (16 projetos / 2.954 quartos). Estas cinco cidades compõem 20% das acomodações em pipeline.
 
As principais redes hoteleiras na linha de construção da América Latina são a AccorHotels (104 projetos / 13.880 quartos). Seguida de perto pela Marriott International (com 103 projetos / 16.435 quartos). Depois, a Hilton Worldwide registra um recorde de 82 projetos (11.574 quartos), e o IHG (InterContinental Hotels Group) aparece com 54 projetos (6.432 quartos). Essas quatro empresas são responsáveis ​​por 48% do total de projetos em pipeline.

(*) Crédito da capa: Max Langelott/Unsplash

(**) Crédito da foto: Roman Lopez/Unsplash

Comentários