';
ihg-recuperação

"Novas fases, muitas mudanças e novidades para vocês!"

Vinicius Medeiros
Editor-Chefe
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

IHG dá sinais de recuperação no 3º tri apesar de declínio do RevPar

Por Nayara Matteis 26 de outubro de 2020

No primeiro trimestre de 2020, ainda no início da pandemia, o IHG (InterContinental Hotels Group) registrou declínio de 25% no RevPar global. O indicador segue em queda no terceiro trimestre (-53,4%), porém a rede apresenta sinais de recuperação em ocupação, segundo divulgado pela GlobalData.

“Um declínio no RevPAR ano a ano de 53,4% e uma taxa de ocupação 30% menor em relação ao ano anterior destacam como o terceiro trimestre foi difícil para o IHG. Apesar disso, há motivos para estar positivo, pois a rede hoteleira relatou que a ocupação melhorou de 25% para 44% no terceiro trimestre, sinalizando uma luz no final do túnel”, diz Ben Cordwell, analista de viagens e turismo da GlobalData.

A recuperação do IHG está sendo impulsionada pelo turismo doméstico. De acordo com a Pesquisa de Recuperação de Consumidores Covid-19 da GlobalData (16–20 de setembro), 41% dos entrevistados globalmente considerariam reservar uma viagem doméstica este ano, em comparação com apenas 31% considerando reservar uma viagem internacional. Isso mostra a maior demanda por viagens internas e dá esperança de que o mercado ajude as empresas hoteleiras a navegar neste período difícil.

IHG: mercado europeu

O levantamento aponta que o mercado europeu foi atingido de forma particularmente forte durante o terceiro trimestre, com RevPAR caindo 72% no ano, com uma segunda onda de coronavírus começando a se estabelecer em todo o continente. O mercado chinês pode ser crucial para a empresa nos próximos meses, visto que o país apresenta os melhores sinais de recuperação do turismo a nível mundial, com destaque para uma taxa de ocupação de 57%.

“Os próximos meses serão incrivelmente desafiadores para o IHG, no entanto, os sinais de uma recuperação lenta estão começando a se tornar aparentes”, destaca o analista.

(*) Crédito da foto: Divulgação/IHG