';
Três perguntas para - Rosana Okamoto

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Três perguntas para: Rosana Okamoto

Por Vinicius Medeiros 9 de outubro de 2020

Rosana Okamoto é uma hoteleira de mão cheia. Nascida em São Paulo, estudou na Europa e, como muitos profissionais do setor, já rodou por várias lugares a trabalho. Na lista, além da cidade natal, Fortaleza, Bahia, Japão e, desde 2012, o Rio de Janeiro. E, veja bem, ela parece ter gostado desse último destino que a carreira a presenteou. Gerente geral do JW Marriott Rio de Janeiro, ela consegue aproveitar a Cidade Maravilhosa unindo o trabalho ao que mais gosta: comer e beber, assistir a bons filmes e ir ao teatro. Tudo isso intercalando com caminhadas na praia e na Lagoa e, quando possível, viagens.

Com Rosana, o Hotelier News termina uma série de entrevistas com gerentes gerais de unidades da Marriott International no Brasil. Pela sessão Três perguntas para já passaram Alejandro Irazabal (Sheraton Porto Alegre), João Berger (Sheraton Santos) e Sintia Gomes (Sheraton Rio). No bate-papo, a executiva falou sobre as ações implementadas no hotel para atender aos clientes e a adaptação aos novos protocolos de segurança.

“Depois dessa pandemia tudo será diferente. O Réveillon, o Carnaval, as viagens e, portanto, as estadas também. Nós no JW Marriott Rio de Janeiro implantamos protocolos ainda mais rigorosos de higiene e segurança, além de distanciamento social”, conta Rosana. “Temos que priorizar ações de higiene e segurança e, ao mesmo tempo, oferecer todo conforto que busca um hóspede em um hotel de luxo. Também focamos em novos treinamentos de uso correto de EPIs e serviços”, completa. Leia mais abaixo.

Três perguntas para: Rosana Okamoto

Hotelier News: O Rio vinha ensaiando uma retomada após anos difíceis no pós-Olimpíada e veio a pandemia. Com o Réveillon reduzido e o Carnaval ameaçado, a alta temporada já está comprometida?

Rosana Okamoto: Depois dessa pandemia tudo será diferente. O Réveillon, o carnaval, as viagens e, portanto, as estadas também. Nós no JW Marriott Rio de Janeiro implantamos protocolos ainda mais rigorosos de higiene e segurança, além de distanciamento social. Por exemplo: totens de álcool gel foram colocados em todas áreas públicas, acrílicos divisores na recepção, botões de elevador sem toque, welcome kit com lenços, máscara e álcool gel. Apartamentos sem papelaria e o uso do QR code para os pedidos de In Room Dining e diretório do hotel. Além da possibilidade de fazer check in e out pelo próprio celular. Na área de A&B (Alimentos & Bebidas), oferecemos café da manha com buffet assistido que tem deixado nossos hóspedes satisfeitos com a variedade e qualidade que sempre foi um dos nossos pontos fortes. E a possibilidade de sentar no restaurante obedecendo as regras de distanciamento social e, ainda assim, apreciar a vista maravilhosa da praia de Copacabana. Nossa localização é privilegiada e não podíamos privar nossos clientes de apreciá-la. Agora, tem uma coisa que não mudamos: o carinho, atenção e serviço que prestamos aos nossos hóspedes e clientes. Nesse momento de tantas incertezas e medos, ser recebido de maneira calorosa e ser cuidado é tão importante quanto ter a certeza de que o hotel tem seus protocolos de higiene e distanciamento social devidamente implementados.

HN: Quando você acredita que a demanda poderá voltar aos padrões pré-crise? O que baliza sua estimativa?

RO: Essa é a resposta do um milhão! Muito difícil prever a volta da demanda, mas, com a vacina, os aeroportos abertos em todos países, a tendência é que as pessoas voltem a viajar. Viagens a lazer já estão voltando devagar. As de trabalho imagino que serão mais contidas, já que o mundo descobriu que podemos ser eficazes por meio de reuniões virtuais. A Marriott, atenta a esses movimentos, lançou os pacotes Work Anywhere with Marriott Bonvoy. Neles, o cliente pode fazer check-in às 6h e check-out 18h, tem espaço privativo para trabalhar, wi-fi, crédito no A&B, acesso à academia, sauna e piscina, entre outros benefícios. Há ainda o Book Now, Stay Later, que proporciona ao cliente pré-pagar a tarifa Staycation sem reservar uma data, além de conceder a opção de oferecer estada como presente a um familiar ou amigos.

HN: O hotel é grande e tem uma operação complexa. Como está sendo adaptar isso aos novos tempos de margens mais apertadas e menores ocupações?

RO: Temos que priorizar ações de higiene e segurança e, ao mesmo tempo, oferecer todo conforto que busca um hóspede em um hotel de luxo. Também focamos em novos treinamentos de uso correto de EPIs e serviços. Nossos hóspedes leais do Marriott Bonvoy esperam nosso melhor e usar a criatividade para nos adaptarmos a nova realidade tem sido crucial para manter a equipe motivada e os resultados do hotel.

(*) Crédito da foto: Divulgação/Marriott International