A partir de março, Rio de Janeiro perde ligações diretas para NY

Rio de Janeiro

O recém-empossado governador do Rio de Janeiro começa seu mandato, pelo menos no turismo, com uma má notícia. O Aeroporto Internacional do Galeão deixará de ter ligações diretas para um importante destino: Nova York. Duas únicas companhias aéreas que operam o trecho sem escalas, Delta e American Airlines paralisam essa operação em março.

Outro popular destino entre os turistas fluminenses, Orlando também não terá mais ligações diretas com a Cidade Maravilhosa. A partir de 1º de abril, a Latam – também única a oferecer essa opção – deixará de operar o voo. Vale destacar que, em julho de 2017, a empresa brasileira cancelara o voo direto para Nova York para começar a frequência para a cidade da Flórida.

A notícia, claro, afeta a vida do turista fluminense, que viaja muito para esses dois destinos bastante populares. O inverso, no entanto, também é considerado negativo, uma vez que o país é importante mercado emissor para a Cidade Maravilhosa. No último Réveillon, por exemplo, os norte-americanos eram destaque entre os visitantes estrangeiros, segundo estimativa do Sindhotéis Rio (Sindicato dos Hotéis do Rio de Janeiro).

Rio de Janeiro e Nova York

Segundo a American Airlines, a rota para Nova York passará a ser sazonal, operando apenas na alta temporada. Com isso, os voos diários atualmente operados serão interrompidos após 30 de março, sendo retomados em dezembro. A companhia americana informou, entretanto, que manterá a operação direta e diária rumo a Miami.

Já a Delta operava voos sazonais desde que começou a operar entre as duas cidades, em dezembro de 2017. Segundo a companhia americana, os voos diários atuais para a cidade americana prosseguem até 9 de março. Depois disso, a frequência será reduzida para cinco voos por semana até o dia 30 de março, quando a rota será interrompida.

(*) Crédito da capa: Luca Bravo/Unsplash

(**) Crédito da foto: Harshil Gudka/Unsplash

Comentários