';
Positivismo - impacto na ocupação_china

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

O positivismo que atrapalha na China

Por Vinicius Medeiros 14 de outubro de 2020

Na vida, positivismo sempre é importante. Em momentos de crise, mais ainda. Pois neste início de retomada da hotelaria chinesa, acredite, o otimismo está – digamos assim – atrapalhando. Explico: mais confiantes com a recuperação do mercado, muitos hoteleiros que não previam retomar atividades resolveram colocar as asinhas de molho. O resultado foi uma “sobreoferta” inesperada de quartos e, claro, além da demanda atual do país.

Dados da STR apontam que, na semana encerrada em 3 de outubro, a ocupação na China estava em 60%. Ok, é uma excelente performance se comparada a qualquer lugar do planeta, mas houve queda de 13% frente ao igual período de 2019. Bem, continua sendo um excelente desempenho mesmo assim, mas é aí que entra a “sobreoferta” inesperada. Isso porque esse recuo na comparação anual está acima do decréscimo de 4% mapeados pelo Truist Securities na média dos últimos 28 dias.

“A ocupação definitivamente não é ruim, considerando o que está acontecendo agora”, diz Jing Yang, professor da Universidade de Nova York. “Mais hotéis estão abrindo e realmente acho que o aumento na oferta tem um papel (na performance)”, completou o acadêmico, em entrevista ao Skift. A oferta de quartos atual na China é 7% inferior aos níveis de 2019. Aproximadamente 35% do inventário estiveram indisponíveis no auge da pandemia no país, informa o Truist Securities.

Positivismo e volatilidade

Análises mais aprofunda dos números da China mostra certa volatilidade na ocupação nas últimas semanas. Muito disso é atribuído ao boom nas vendas em função da Golden Week, feriado que ocorre no meio de outono, baixa temporada por lá e tradicionalmente marcado por menos viagens e famílias curtindo suas casas. Este ano, com longo período de isolamento, foi diferente. No período, a hotelaria chinesa experimentou aumento significativo no indicador na comparação anual. Um feito e tanto, mas que gerou confiança excessiva.

Para analistas, a sazonalidade e a Golden Week atípica são fatores chaves para o cenário volátil visto recentemente. Outro dado impressionante chama atenção. Segundo a CNBC, as vendas dos Duty-Free em Hainan, conhecida província chinesa de lazer, subiram 150% durante a Golden Week frente a 2019. Novamente, é sempre bom ressaltar, são excelentes índices, que reforçam a retomada no país.

“O retorno aos patamares pré-pandemia, pelo menos em alguns segmentos, só ocorrerá quando as fronteiras reabrirem.” A avaliação é de Robin Wattinger, head da PKF Hotelexperts para a Ásia, que aponta hotéis voltados para convenções em grandes centros urbanos. “Isso também deve ser visto no contexto de um excesso de oferta geral no mercado chinês, que vem se acumulando há muitos anos”, finaliza.

(*) Crédito da capa: zhang kaiyv/Unsplash